Política Passos Coelho: "Vejo com muita pena que em 2019 se regresse aos desequilíbrios da balança comercial”

Passos Coelho: "Vejo com muita pena que em 2019 se regresse aos desequilíbrios da balança comercial”

Pedro Passos Coelho criticou esta quarta-feira o facto de Portugal continuar "a seguir imprudentemente políticas pró-cíclicas".
Passos Coelho: "Vejo com muita pena que em 2019 se regresse aos desequilíbrios da balança comercial”
DR
Filipe Fernandes 03 de julho de 2019 às 17:48

"Vejo com muita pena que em 2019 se regresse aos desequilíbrios da balança comercial depois dos excedentes que se atingiram a partir de 2015", referiu Pedro Passos Coelho durante a sua apresentação no workshop exportadoras outstanding que se está a realizar no Nerlei em Leiria.

 

Pedro Passos Coelho criticou ainda o facto de Portugal continuar "a seguir imprudentemente políticas pró-cíclicas" e portanto não ter aumentado a sua resiliência para os tempos de crise. Assinalou que no seu governo o défice estrutural desceu 6 pontos percentuais, enquanto o atual governo diminui 1,5%.

 

Na sua exposição considerou ainda que "a política monetária e o crescimento mais forte dos últimos anos ofereceram um dividendo que não tem sido aproveitado para reformas estruturais ou para ganhar espaço orçamental e reduzir os riscos financeiros". Na sua opinião este dividendo representa dois terços da consolidação orçamental do atual governo.

 

Salientou que em Portugal se tem tendência para olhar para os resultados nominais das grandes empresas sem se olhar para os capitais investidos. Diz que muitos dos apoios às pequenas e médias empresas (PME) se devem ao emprego mas que os decisores políticos "deviam estar mais preocupados com os trabalhadores e em criar melhores oportunidades do que com o emprego e a manutenção de empresas zombies".




Marketing Automation certified by E-GOI