Eleições CNE acusa João Paulo Correia de usar Facebook para promoção política

CNE acusa João Paulo Correia de usar Facebook para promoção política

A Comissão Nacional de Eleições proibiu o vice-presidente da bancada parlamentar do PS e autarca de uma freguesia em Gaia de usar as redes sociais para publicitar obras até às eleições europeias, escreve o Jornal de Notícias. João Paulo Correia fala em “interpretação radical da lei”.
CNE acusa João Paulo Correia de usar Facebook para promoção política
Miguel Baltazar
Negócios 09 de abril de 2019 às 10:55

É a primeira advertência que a Comissão Nacional de Eleições (CNE) faz a políticos à luz da nova legislação, escreve esta terça-feira o Jornal de Notícias. João Paulo Correia, vice-presidente da bancada parlamentar do PS e também presidente da junta de freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso, Vila Nova de Gaia, foi avisado pela CNE de que não pode usar as redes sociais para publicitar qualquer tipo de obra ou evento até à realização das eleições para o Parlamento Europeu, marcadas para 26 de maio.

 

Segundo o jornal, a CNE concluiu que João Paulo correia usou as redes sociais para promoção política, naquela que terá sido a primeira decisão ao abrigo da chamada "lei da rolha", que proíbe órgãos e entidades do Estado de publicitar obras, eventos ou programas.

Ao jornal, João Paulo Correia nega ter tido tal intenção e lamentou "interpretação radical da lei", que acaba por levar a que a comunidade deixe de aceder a informação, afirmando que a CNE "não é nenhum tribunal".

 

João Paulo Correia foi alvo de uma queixa anónima, escreve ainda o Jornal de Notícias.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI