Automóvel Volkswagen estará a ponderar recomprar milhares de carros nos EUA

Volkswagen estará a ponderar recomprar milhares de carros nos EUA

A Volkswagen poderá recomprar milhares de carros com motores diesel que não serão facilmente alterados para cumprirem as normais ambientais dos EUA. Em causa estão carros que produzem testes de controlo de gases fraudulentos.
Volkswagen estará a ponderar recomprar milhares de carros nos EUA
Bloomberg
Ana Laranjeiro 08 de janeiro de 2016 às 10:32

A Volkswagen AG, construtora automóvel alemã, poderá vir a recomprar dezenas de milhares de carros com motores diesel. Esta não é a primeira vez que esta ideia surge como possibilidade. A notícia que a Volkswagen tinha manipulado os testes de emissões de gases poluentes em cerca de meio milhão de carros nos Estados Unidos da América (EUA) surgiu em Setembro. Agora em negociações com as autoridades norte-americanas para que estes veículos afectados possam ser alterado para cumprirem as regras, surge a possibilidade de alguns carros serem recomprados. Reguladores americanos tinham já indicado essa hipótese.

Além disso, esta semana, o líder da Volkswagen AG, Herbert Diess, apontou que resolver os problemas dos modelos da Volkswagen mais antigos com motores a diesel, de forma que fiquem em conformidade com as regras, vai ser mais complicado que nos modelos mais recentes.

Agora, e de acordo com a Bloomberg, a empresa de origem alemã poderá vir mesmo a recomprar automóveis pois esta operação será mais simples do que tentar reparar esses mesmos veículos com motor diesel. As negociações entre a Volkswagen e a Agência norte-americana de Protecção Ambiental (EPA na sigla inglesa) prosseguem e, por conseguinte, ainda não foi tomada uma decisão. Ainda assim, e caso esta recompra venha mesmo a avançar, pode ser um indício das dificuldades que as reparações deste automóveis representam.

De acordo com uma fonte da Bloomberg, a Volkswagen terá chegado mesmo à conclusão que recomprar alguns dos cerca de 500 mil veículos afectados aos seus donos é mais simples do que arranjá-los. Uma outra fonte desta agência avança que o número de carros que podem voltar às mãos da empresa alemã ascende a 50 mil, sendo que este número pode sofrer alterações dado que as negociações prosseguem.

A administradora da EPA, Gina McCarthy, disse esta quinta-feira, sobre a possibilidade da marcar germânica recomprar carros que "temos tido uma elevada quantidade de discussões técnicas para a frente e para trás com a Volkswagen". E que "nós não tomamos ainda nenhuma decisão sobre isso". Além disso, a responsável assinalou que as propostas da construtora para que os carros manipulados possam ir ao encontro das regras não foram, até ao momento, adequadas.

Departamento de Justiça processa Volkswagen

A construtora automóvel alemã Volkswagen foi, esta semana, processada pelo Departamento norte-americano de Justiça por ter instalado dispositivos que visavam manipular os testes de emissões de gases poluentes. As autoridades judiciais dos EUA estão a pedir multas de milhares de milhões de dólares, de acordo com informações avançadas pela Bloomberg. Algo que poderá, ainda assim, sair mais barato aos cofres da Volkswagen dado que uma batalha legal poderá ser mais dispendiosa, segundo a mesma fonte.

A queixa apresentada esta segunda-feira, 4 de Janeiro, pelo Departamento de Justiça, em nome da Agência de Protecção Ambiental, acusa a construtora automóvel de quatro violações do "Clean Air Act" (Acta Federal de Ar Limpo) e aponta as linhas gerais das penalizações que a empresa germânica pode sofrer e que podem ascender a 80 mil milhões de dólares – mais de 73,5 mil milhões de euros. Uma cifra que, segundo a Bloomberg, é quatro vezes mais do que o estimado por vários especialistas.

De acordo com o documento presente no site do Departamento de Justiça, esta queixa aponta que "quase 600 mil veículos com motor a diesel tinham dispositivos ilegais que permitiam a manipulação e que prejudicam os sistemas de controlo de emissões e provocam que as estas excedam os padrões da EPA, resultando em poluição do ar prejudicial".

CEO da Volkswagen volta a pedir desculpas

Também esta semana, o líder da Volkswagen AG, Herbert Diess, pediu desculpa à população norte-americana pelas acções da construtora automóvel alemã que levaram ao escândalo da manipulação dos testes de gases poluentes, de acordo com a imprensa internacional. Presente na conferência Consumer Electronics Show em Las Vegas, EUA, Diess revelou que a empresa alemã está "confiante que vai encontrar uma solução [que seja] aceitável" pelas autoridades norte-americanas para que cerca de 500 mil automóveis com motores diesel possam ser alterados para ficar em conformidade com as regras ambientais.

Em entrevista à agência Reuters, o responsável da construtora automóvel apontou ainda que resolver os problemas dos modelos da Volkswagen mais antigos com motores a diesel, de forma que fiquem em conformidade com as regras, vai ser mais complicado que nos modelos mais recentes. "A intrusão nos carros vai ser significativa", disse referindo-se aos modelos mais antigos. Segundo esta agência, há reguladores norte-americanos que defendem que a Volkswagen poderá mesmo ter de comprar os modelos mais antigos. O líder da empresa não refere se essa questão está a ser equacionada mas salienta que está optimista quanto à possibilidade de um acordo com os reguladores americanos possa ser alcançado em breve.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI