Banca & Finanças CEO do Banco Popular abandona funções sete meses depois

CEO do Banco Popular abandona funções sete meses depois

Pedro Larena, nomeado director executivo do Banco Popular em Setembro de 2016, abandonou funções após ter perdido competências para o novo assessor do chairman da instituição.
CEO do Banco Popular abandona funções sete meses depois
Bloomberg
Negócios 03 de abril de 2017 às 14:28

O jornal espanhol Expansión avança esta segunda-feira, 3 de Abril, que Pedro Larena, CEO do Banco Popular, vai abandonar a instituição financeira, cerca de sete meses depois de ter assumido a liderança executiva do banco.

 

Nomeado CEO do Banco Popular em Setembro do ano passado, o Expansión refere que Pedro Larena estava a ponderar esta decisão nas últimas semanas, isto depois de ter perdido competências para Miguel Escrig, ex-director financeiro da Telefónica que ingressou no banco espanhol há cerca de três semanas.


Escrig assumiu a função de adjunto do presidente do banco, Emilio Saracho, número dois da instituição.

 

Ainda segundo o Expansión, que cita fontes conhecedoras do enquadramento da saída de Pedro Larena, garantem que a mesma nada teve que ver com a auditoria interna ao Banco Popular em 2016, esta manhã comunicada ao regulador do mercado espanhol (CNMV).

 

Uma auditoria interna detectou "algumas questões relacionadas com o aumento de capital" realizado pelo banco em Maio de 2016, sendo que a instituição poderá ter de aumentar as provisões para fazer frente a risco, o que poderá afectar os resultados em 123 milhões de euros, devendo também necessitar de aumentar as provisões em relação ao crédito malparado, o que poderá ter um impacto de 160 milhões de euros.

 

O Expansión escreve que a auditoria interna coloca em causa o trabalho da anterior equipa executiva do banco, liderada por Ángel Ron e, após Setembro de 2016, por Larena. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI