Concorrência & Regulação IGF insinua que Banco de Portugal tem falta de cultura democrática
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante, faça LOGIN

IGF insinua que Banco de Portugal tem falta de cultura democrática

No discurso de abertura da conferência que celebrou o 89.º aniversário da Inspeção-Geral das Finanças, Vítor Braz tomou posição sobre um dos temas quentes da reforma da supervisão financeira: fiscalizar o Banco de Portugal.
IGF insinua que Banco de Portugal tem falta de cultura democrática
André Kosters/Lusa
Margarida Peixoto 30 de junho de 2019 às 23:30

Vítor Braz, inspetor-geral das Finanças, não chegou a nomear o Banco de Portugal. Mas não foi preciso: quem estava na sala entendeu. Na abertura da conferência que assinalou os 89 anos de Inspeção-Geral

Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone Assinar por 1€ por 1 mês



Notícias só para Assinantes
Análise, informação independente e rigorosa..
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia.
Notícias e conteúdos exclusivos no website e aplicações móveis
Newsletter diária exclusiva para assinantes
Acesso ao epaper a partir das 23:00
Saiba mais
pub

Marketing Automation certified by E-GOI