Desporto Portugal-País de Gales em números

Portugal-País de Gales em números

Portugal e País de Gales disputam uma meia-final que se antecipa renhida. Mas se o valor de mercado do plantel luso vale mais do dobro do que o galês, nos jogos já disputados os galeses apresentam estatísticas mais promissoras. A presença na final garante 5 milhões de euros.
Portugal-País de Gales em números
Reuters
Negócios 06 de julho de 2016 às 17:16

Está marcado para as 20:00 desta quarta-feira o pontapé de saída para o primeiro jogo das meias-finais do Euro 2016, que decorre em França. Portugal e País de Gales tentam marcar presença na final de Paris mas – e não é demais lembrar – só uma destas selecções o conseguirá. O Negócios olhou para os números das duas selecções neste Euro.

 

Com base no site Transfer Markt, na comparação entre o valor de mercado dos jogadores portugueses e dos galeses a selecção lusa leva uma confortável vantagem. O plantel português vale 353,5 milhões de libras (413,1 milhões de euros), mais do dobro do que os 144,32 milhões de libras (170,7 milhões de euros) dos 23 que o seleccionador Chris Coleman levou até França.

 

Praticamente metade do valor da selecção galesa é assegurado pelo passe de Gareth Bale, avaliado em 68 milhões de libras (80,42 milhões de euros). Mas se também à selecção portuguesa for "descontado" o passe de Cristiano Ronaldo (128,6 milhões de euros), o valor global do plantel luso cairia para 224,9 milhões de euros.

 

Contudo estes valores são indicativos e há que ressalvar que não correspondem com exactidão, nem ao minuto, à própria evolução do mercado de transferências. Exemplos: há duas semanas o lateral-esquerdo Raphael Guerreiro foi transferido do Lorient para o Borussia Dortmund por 12 milhões de euros, pese embora o Transfer Markt mantenha ainda uma avaliação do passe do luso-francês em 10,5 milhões de euros. Outro exemplo diz respeito ao médio Renato Sanchez, adquirido pelo Bayern de Munique ao Benfica por 35 milhões de euros e ainda avaliado em apenas 23,3 milhões pelo referido site.

 

Mas, como se sabe, o futebol é uma caixinha de surpresas e a bola é redonda. Pelo que o valor pecuniário dos plantéis não corresponde directamente a vitórias no terreno de jogo. E no que ao jogo jogado diz respeito, pelo menos nas estatísticas os galeses levam vantagem. Desde logo porque chegam a esta fase da prova com menos uma hora de jogo do que a equipa comandada por Fernando Santos. Portugal teve dois prolongamentos e Gales confirmou a vitória nos oitavos e nos quartos-de-final dentro dos 90 minutos de jogo.

 

Por outro lado, Gales tem mais golos marcados (10) do que Portugal (6). E tem também menos um golo sofrido comparativamente com as cinco vezes que Rui Patrício teve de ir buscar a bola ao fundo das redes. Analisando os 90 minutos de jogo, Gales tem mais desarmes, intercepções e recuperações de bola do que Portugal.


E se Portugal remata 17 vezes a cada 90 minutos, enquanto Gales se fica por apenas 12 remates, 50% dos pontapés galeses são enquadrados com a baliza, melhor performance face aos 30% dos pontapés lusos às balizas adversárias. 
A taxa de concretização galesa (17%) é também bastante melhor do que a portuguesa (6%), o que se deve também ao facto de nos três jogos da primeira fase Portugal ter sido a equipa mais rematadora, um registo acompanhado de fraca eficácia goleadora.

 

Esta quarta-feira é também a primeira vez que as duas selecções se encontram num jogo de carácter oficial. Até hoje Portugal e Gales já se tinham enfrentado em três ocasiões, mas sempre em jogos amigáveis. Portugal venceu duas vezes e Gales na restante. Nunca houve empates e, desta feita, também é certo que não haverá pois apenas uma irá à final.

 

Presença na final garante pelo menos mais 5 milhões de euros

 

Até ao momento o País de Gales também leva vantagem no dinheiro já amealhado. Desde que chegou a França, Gales já arrecadou 18 milhões de euros, mais meio milhão do que Portugal (17,5 milhões de euros).

 

Esta vantagem deve-se ao facto de, na fase de grupos, Gales ter vencido dois jogos e perdido outro, tendo Portugal empatado os três jogos disputados. Isto porque ao prémio de participação de 8 milhões de euros atribuído a todas as equipas presentes no Euro 2016, cada vitória na fase de grupos valia 1 milhão de euros e cada empate 500 mil euros.

 

Entretanto as duas selecções já alcançaram os prémios de passagem aos oitavos-de-final (1,5 milhões), ao quartos-de-final (2,5 milhões) e meias-finais (4 milhões). Já a presença na final garante um mínimo de 5 milhões de euros à selecção derrotada, cabendo um prémio de 8 milhões à campeã europeia de 2016. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI