Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cervejaria Galiza à mesa do Estado com dívida de dois milhões

Cabe ao Estado salvar ou fechar a Cervejaria Galiza, uma das mais famosas da cidade do Porto. O fisco e a Segurança Social detêm 82% dos créditos de dois milhões de euros da empresa, que aderiu ao Processo Especial de Revitalização (PER).

Rui Neves ruineves@negocios.pt 04 de Maio de 2016 às 15:52
  • Partilhar artigo
  • 9
  • ...

"Muito obrigado pelo vosso serviço. E obrigado também pela solidariedade e apoio ao povo de Timor-Leste", escreveu D. Ximenes Belo, em 18 de Outubro de 2002, no livro de honra da Cervejaria Galiza, uma das mais famosas do Porto.

Fundada em Julho de 1972, o Galiza, como é conhecido, é um dos espaços de restauração mais frequentado por personalidades da política, das artes ou do desporto nacionais.

Do seu livro de honra constam ainda nomes como o falecido historiador José Hermano Saraiva, a fadista Mariza, a actriz Maria Rueff e o compositor Sérgio Godinho.

O cantor de "apagam-se dúvidas num mar de cerveja/E vem-nos à memória uma frase batida/Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida" deixou no livro de dedicatórias do Galiza uma mensagem elogiosa: "Eu que sou do Porto sei da Galiza, e também do Galiza desde sempre. E gosto muito e volto sempre."

Hoje, o histórico Galiza navega num mar de incertezas quanto ao seu futuro. E corre mesmo o risco de estar a viver os seus últimos dias de actividade.  

Com uma dívida de dois milhões de euros, há vários anos que não paga ao Fisco, que tem a haver 896 mil euros, nem à Segurança Social, que reclama 736 mil euros.

O Estado é mesmo o maior dos 54 credores do Galiza, detendo 82% do total de créditos reconhecidos pela empresa detentora da cervejaria, a Actividades Hoteleiras da Galiza Portuense, no âmbito do Processo Especial de Revitalização (PER) que deu entrada no Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia.

O negócio que ocupa o número 55 da Rua do Campo Alegre é gerido por Delfina Amaral, que assumiu a administração da cervejaria após a morte do seu marido e fundador do Galiza, António Moreira Vieira. O Negócios tentou contactar a dona do espaço, mas não obteve resposta até ao momento.

Ver comentários
Saber mais Cervejaria Galiza PER Processo Especial de Revitalização fisco Segurança Social restauração Actividades Hoteleiras da Galiza Portuense
Outras Notícias