Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fundador da Evergrande vende 9% da participação por 334 milhões de dólares

Com a Evergrande há várias semanas à beira da falência, a venda de ações permitiu ao fundador e chairman da imobiliária chinesa abrir mão de 9% da sua participação, passando agora a deter 67,87% do capital social da empresa, ao invés de 76,96% que detinha até à data. 

Xihao Jiang/Reuters
Negócios jng@negocios.pt 26 de Novembro de 2021 às 12:10
  • Partilhar artigo
  • ...
O fundador e chairman da Evergrande, Hui Ka Yan, vendeu esta quinta-feira 1,2 mil milhões de ações da empresa a um preço médio de 2,23 dólares de Hong Kong (cerca de 0,25 euros) por ação. A venda resultou num encaixe financeiro de 334 milhões de dólares (mais de 300 milhões de euros) para Hui Ka Yan.

Com a Evergrande há várias semanas à beira da falência, a venda de ações permitiu ao fundador e chairman da imobiliária chinesa abrir mão de 9% da sua participação, passando agora a deter 67,87% do capital social da empresa, ao invés de 76,96% que detinha até à data. 

Os reguladores chineses têm pedido a Hui Ka Yan que use a sua riqueza pessoal para salvar a gigante imobiliária, que tem um passivo de mais de 300 mil milhões de dólares (26,6 mil milhões de euros). O dinheiro conseguido deverá ser usado para ajudar a pagar salários, obrigações financeiras, juros e dividendos da empresa. 

Desde julho, Hui Ka Yan vendeu património pessoal no valor de mais de 7 mil milhões de yuans (cerca de 970 euros), incluindo casas, jatos particulares e jóias, para manter as operações básicas da empresa.

Como a Evergrande tem falhado no pagamento aos credores em dólares, alimentou o risco de um "default" geral em todo o setor do imobiliário, que acumula 5 biliões de dólares de dívida na mão dos investidores, o equivalente ao PIB (produto interno bruto) do Japão, a terceira maior economia do mundo. 

O setor do imobiliário é responsável por 25% da riqueza da China e há vários anos que enfrenta um forte nível de endividamento, que as autoridades não têm conseguido controlar.

Ver comentários
Saber mais Evergrande Hong Kong falência bolsa Hui Ka Yan China imobiliário
Outras Notícias