Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Incentivo à normalização e apoio simplificado pagos a 32.800 empresas

Perto de 133 milhões de euros estão enquadrados no novo incentivo e quase três milhões de euros no âmbito do apoio simplificado. Registaram-se também 48.765 empresas candidatas e 846 desistências.

Os dados do Eurostat mostram que 6% das mulheres ficaram sem emprego na primeira vaga da pandemia. Foi uma das maiores quebras na UE.
Pedro Catarino
Lusa 30 de Agosto de 2021 às 17:57
  • Partilhar artigo
  • ...
O novo incentivo à normalização da atividade e o apoio simplificado às microempresas, adotados face ao impacto da pandemia, já foram pagos a mais de 32.800 empresas, num montante próximo de 136 milhões de euros, segundo dados do IEFP.

"Até ao dia 26 de agosto [...] foram realizados pagamentos relativos a mais de 32.800 empresas, num montante total próximo dos 136 milhões de euros", indicou, em resposta à Lusa, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Deste valor, perto de 133 milhões de euros estão enquadrados no novo incentivo e quase três milhões de euros no âmbito do apoio simplificado. Registaram-se, até à mesma data, 48.765 empresas candidatas e 846 desistências.

O incentivo à normalização dirige-se às empresas em crise que tenham recorrido ao 'lay-off' simplificado ou ao apoio à retoma progressiva no primeiro trimestre do ano e tem duas modalidades diferentes.

Se requerido até 31 de maio, o incentivo tem o valor de dois salários mínimos (1.330 euros) e é pago de forma faseada ao longo de seis meses, ao qual acresce o direito a dispensa de 50% do pagamento de contribuições para a Segurança Social a cargo da entidade empregadora.

Por sua vez, a medida prevê que, quando pedido entre 31 de maio e 31 de agosto, o incentivo tem o valor de um salário mínimo (635 euros) e é pago de uma só vez. O apoio é pago por cada trabalhador que tenha sido abrangido pelo 'lay-off' ou apoio à retoma.

Já o apoio simplificado para microempresas à manutenção dos postos de trabalho consiste na atribuição de um apoio financeiro de dois salários mínimos por cada trabalhador abrangido pelo 'lay-off' ou pelo apoio à retoma, sendo pago de forma faseada ao longo de seis meses. O acesso a ambos os apoios prevê a proibição de despedimentos coletivos.

O pagamento do novo incentivo à normalização na modalidade de dois salários mínimos é efetuado em duas prestações, sendo a primeira paga no prazo de 10 dias úteis, a contar da data da aprovação do pedido e a segunda prestação paga no prazo de seis meses.

Quanto ao apoio simplificado para as microempresas, o pagamento é feito em duas prestações, sendo a primeira paga em 10 dias após a aprovação do pedido e a segunda no prazo de seis meses a contar dessa data.

Os empregadores que, durante o primeiro semestre de 2021, beneficiem do apoio simplificado e que, em junho, se tenham mantido em situação de crise empresarial, e que, em 2021, não tenham estado em 'lay-off' ou no apoio à retoma podem ainda pedir, entre julho e setembro, um apoio adicional no valor de um salário mínimo, que será pago de uma só vez, no prazo de 10 dias.

A covid-19 provocou pelo menos 4.500.620 mortes em todo o mundo, entre mais de 216,34milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.730 pessoas e foram contabilizados 1.036.019 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.
Ver comentários
Saber mais IEFP salários e pensões apoio à normalização
Outras Notícias