Empresas Ministra do Mar: "Se Autoeuropa quiser usar Sines, terminal fica operacional numa semana"

Ministra do Mar: "Se Autoeuropa quiser usar Sines, terminal fica operacional numa semana"

Ana Paula Vitorino diz que as duas intervenções que a Autoeuropa considera necessárias para poder utilizar o porto de Sines "corrigem-se no espaço de uma semana".
A carregar o vídeo ...
Maria João Babo Rosário Lira 08 de dezembro de 2018 às 21:00

A ministra do Mar garante que se Autoeuropa quiser utilizar o porto de Sines para despachar os seus automóveis numa semana o porto fica operacional sem poeiras provenientes do carvão e com um pavimento adequado.

Em entrevista ao Negócios e Antena 1, a ministra do Mar explicou que a fábrica de Palmela levantou duas questões para poder carregar em Sines, numa altura em que decorre uma paralisação no porto de Setúbal: as poeiras da central de carvão e o pavimento com gravilha.

"Se a Autoeuropa manifestar o seu interesse em utilizar aquele terminal pode no prazo de uma semana começar a fazê-lo porque são intervenções muito rápidas", afirmou a governante, explicando ainda que estão a ser criadas redundâncias nos portos nacionais para que não se fique cativo de uma só solução.


Sobre a situação do Porto de Setúbal, a ministra fez pela primeira vez as contas aos prejuízos da paralisação dos estivadores que teve início a 5 de Novembro, revelando que quebra na movimentação é neste momento inferior a 50% mas que se a greve continuar até ao final do ano haverá uma redução de 70%.


"O valor directo e indirecto do Porto de Setúbal é de cerca de 300 milhões de euros por ano. Se considerarmos o peso da componente induzida estamos a falar de duplicar", afirmou Ana Paula Vitorino, que acredita que com um acordo entre estivadores e empresas de trabalho portuário ainda é possível "recuperar alguma coisa". Ainda assim reconhece que há linhas que já saíram do pais e que poderão não voltar.




pub