Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Nestlé fecha 2020 com receitas recorde e investimento de 71 milhões em Portugal

A Nestlé Portugal chegou ao fim de 2020 com receitas de 565 milhões de euros, naquele que foi o melhor resultado de sempre da empresa no país, apesar da quebra de 85% do canal Horeca.

5º Nestlé
reuters
Ana Sanlez anasanlez@negocios.pt 08 de Abril de 2021 às 16:35
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Num ano "difícil" e "trágico" devido à pandemia, a Nestlé alcançou o seu melhor resultado de sempre em Portugal. A empresa revelou esta quinta-feira, em conferência de imprensa, que fechou 2020 com receitas "excecionais" de 565 milhões de euros, mais 30 milhões de euros face ao ano anterior, e um crescimento orgânico de 4,2%. A empresa não revela os lucros em Portugal, mas segundo Paolo Fagnoni, Diretor-Geral da Nestlé Portugal, foi "um dos melhores dos últimos anos". 

A empresa beneficiou do aumento do consumo no lar, de produtos como café e cereais, que cresceram "muitíssimo" e compensou a quebra de 85% das vendas para o canal Horeca. No segmento das cápsulas de café, a empresa atingiu uma quota de mercado no retalho de 38,4%, mais 5,7 pontos face ao ano anterior. No total das categorias onde opera, a Nestlé atingiu 35% de quota de mercado. 

"Tivemos um grande prejuízo por via da falta do consumo fora do lar. Portugal é o país das esplanadas, das pastelarias, e o nosso negócio é muito ligado ao consumo fora do lar, por isso tivemos danos. Mas conseguimos transferir esse consumo, que agora está a zero, para o consumo no lar, mas não é a mesma coisa. Temos alguns problemas com isto", destacou Paolo Fagnoni. A empresa está "mentalizada" para que a atual situação se mantenha durante todo o ano de 2021. "Seria ilusório pensar de forma diferente". 

No último ano, a empresa investiu 71 milhões de euros. Deste valor, 16,5 milhões de euros foram investidos nas operações das fábricas, em novas linhas de produção e tecnologia, e 55,6 milhões de euros foram aplicados em marketing. "Considerando todos os canais de media, investimos globalmente mais 52% e, em particular nos media", refere a empresa em comunicado. O valor torna a empresa na maior anunciante da indústria de alimentos e bebidas em Portugal. 

A Nestlé refere que "tem vindo a atrair mais projetos para as suas fábricas", produzindo não só para o mercado interno mas também para exportações, nomeadamente cereais e café. Em 2020, a empresa exportou 96 milhões de euros. 

A empresa de origem suíça tem duas fábricas em Portugal, em Avanca e no Porto, onde nos últimos três anos a produção aumentou 12%, o equivalente a 4% ao ano. Em 2020, foram produzidas 52 mil toneladas de produtos. 

A Nestlé também tem vindo a reforçar as compras a produtores locais. Em Portugal, a empresa compra, sobretudo, cereais a produtores do Alentejo, onde há matéria-prima "com características específicas para a produção, entre outras, da gama Cerelac".

Em 2020, "a Nestlé comprou em Portugal 60% das suas necessidades com um investimento total de 124 milhões de euros". Além de cereais, as compras incluem também materiais de embalagem e serviços. "Com esta política de compra local, conseguimos, no espaço de uma década, reduzir em 53% as nossas emissões de CO2 no transporte por tonelada de produto", refere a empresa. Nesta área, o principal objetivo do grupo é chegar a 2030 com 50% das principais matérias-primas obtidas através de práticas agrícolas mais sustentáveis ?. 

Teletrabalho para manter

A empresa mantém 1.300 colaboradores em teletrabalho, uma prática que começou a implementar há três anos e pretende manter para quem o quiser. "Não vamos afixar quotas para o trabalho presencial", destacou o diretor-geral. 

 

A empresa pagou ainda um prémio adicional nos primeiros meses da pandemia para os trabalhadores na linha da frente, das fábricas e centros de distribuição, "que durante o cerco de Ovar asseguraram a continuidade da produção e distribuição". Os funcionários receberam um acréscimo de 20% no salário.

Já para os colaboradores da equipa de vendas do canal fora do lar, a empresa manteve o pagamento de comissões de vendas, através do cálculo de uma média, apesar do encerramento do canal Horeca durante o confinamento. A Nestlé garantiu ainda o pagamento de salário, por um período de 12 semanas, aos colaboradores que, devido à pandemia, ficaram impedidos de trabalhar. No total, a empresa gastou perto de seis milhões de euros nestas medidas. 

Em 2020, a Nestlé "gerou 385 oportunidades de emprego", contando agora com 2.311 colaboradores em Portugal de 43 nacionalidades. Cerca de 5% das contratações foram na área das competências digitais.

Em 2021 a empresa mantém a intenção de continuar a contratar, sem estabelecer uma meta, e a investir. Os valores do investimento deverão ser "semelhantes" aos de 2020, podendo haver "um ligeiro acréscimo", detalhou a Diretora Financeira da empresa, Maria do Rosário Vilhena.

Ver comentários
Saber mais Nestlé resultados cereais café starbucks nespresso horeca
Outras Notícias