A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Paulo Branco acusa distribuidora Big Pictures de exigir condições “contra as regras do mercado”

Exibidor vai avançar com queixa na Autoridade da Concorrência pelas práticas comerciais “sem critério” por parte da distribuidora. Paulo Branco defende que este tipo de “abuso de poder” prejudica todo o sector.

Negócios 23 de Abril de 2014 às 17:42
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Paulo Branco acusa a distribuidora Big Pictures 2 Films de exigir “condições inadmissíveis, insustentáveis e contra as regras de mercado” a vários grupos de exibição cinematográfica, entre eles a Medeia Filmes que lidera.

 

Para o também produtor, a empresa que detém actualmente os catálogos dos estúdios americanos 20th Century Fox, Columbia Pictures e Sony Picture Studios, está a assumir “uma posição que configura um abuso de poder” e coloca em causa a sustentabilidade da exibição independente em Portugal.

 

“Não tenho qualquer problemas na concentração das ‘majors’ desde que não se abuse de uma posição dominante”, esclareceu Paulo Branco, que exige as mesmas condições de tratamento que os maiores operadores por parte da Big Pictures 2 Films. Há uma “discriminação clara e precisa” para com os operadores mais pequenos, assegura.

 

Na origem das acusações está uma alegada exigência de uma segunda garantia, por parte da distribuidora, pela projecção do filme ‘Grand Budapest Hotel’. O exibidor recusa-se a fazer este novo pagamento perante uma posição que considera “insustentável”. Ao fim de duas semanas, a película de Wes Anderson deixará, por isso, de estar nas salas da Medeia Filmes.

 

Numa conferência de imprensa realizada esta quarta-feira em Lisboa, Paulo Branco esclareceu que irá apresentar uma nova queixa pelas práticas comerciais “sem critério” da Big Pictures 2 Films à Autoridade da Concorrência, apesar de considerar que a regulação no sector está “parada” em Portugal há já vários anos.

 

O mercado da distribuição cinematográfica em Portugal é, segundo dados de 2013 do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), controlado maioritariamente pela ZON Lusomundo Audiovisuais, com uma quota de mercado de 61,2% e receitas brutas de 39,9 milhões de euros no ano passado.

 

Apesar do fecho em Dezembro dos Cinemas King, em Lisboa, Paulo Branco assegura que não deseja fechar mais salas, mesmo que isso represente uma “batalha enorme” para a Medeia Filmes.

 

 

Exibidor fala em “suspeitas de pagamentos de favores”

 

A Big Pictures 2 Film foi fundada em 2011, passando a assegurar em Portugal o catálogo da 20th Century Fox. Depois da fecho da Columbia Tristar Warner em Portugal no passado mês de março, a empresa  passou a gerir também os catálogos da Columbia Pictures e da Sony Picture Studios.

 

Em 2013, segundo os dados do ICA, a distribuidora era a terceira maior no país, com uma quota de mercado de 12,9%. A ZON Lusomundo Audiovisuais detém 20% do capital social desta empresa.

 

Paulo Branco fala em “suspeitas de pagamentos de favores” em relação à Big Pictures, anterior designação da empresa também dirigida por Joaquim Queirós, que terá recebido apoios públicos de cinco milhões de euros para produção de projectos de animação no estrangeiro, através do Fundo de Investimento do Cinema e Audiovisual (FICA).

 

Precisamente, um dos responsáveis por este fundo até 2011 foi José Antunes João, que assumiu nesse mesmo ano a gestão da distribuidora Big Pictures 2 Films, depois da sua passagem pela ZON Lusomundo Audiovisuais. “Achei estranho o mesmo nome, a mesma pessoa responsável”, referiu Paulo Branco.

 

Segundo um artigo do "Diário de Notícias" de Março deste ano, Joaquim Queirós terá chegado mesmo a trabalhar em colaboração directa com José Antunes João na ZON Lusomundo Audiovisuais entre 2000 e 2006, ano em que foi constituído o FICA.

Ver comentários
Saber mais Paulo Branco Big Pictures Medeia Medeia Filmes Autoridade da Concorrência Portugal ZON Lusomundo Audiovisuais Century Fox Columbia Tristar Warner Joaquim Queirós Fundo de Investimento do Cinema e Audiovisual FICA José Antunes João Diário de Notícias economia negócios e finanças artes cultura e entretenimento negócios (geral) cinema
Outras Notícias