Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Airbnb: Ganhos em destinos portugueses não tradicionais disparam até 250%

Viseu, Açores, Vila Real, Castelo Branco e Santarém registaram subidas exponenciais nas receitas de alojamento local.

Ana Batalha Oliveira anabatalha@negocios.pt 03 de Setembro de 2020 às 12:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os anfitriões da Airbnb em destinos portugueses menos tradicionais viram os ganhos com alojamento local disparar até 248%, que foi o caso de Viseu.

Além desta região, também os Açores (190%), Vila Real (180%), Castelo Branco (164%) e Santarém (156%) registaram subidas exponenciais nas receitas de alojamento local. Já os 10 principais destinos ganharam entre 5 a 6 vezes mais do que no ano passado. Por ordem, as cidades que mais beneficiaram foram Santa Bárbara de Nexe (Faro), Boliqueime (Faro), Pombal (Leiria), São João das Lampas (Lisboa), Gondomar (Porto), Monsanto (Castelo Branco), Póvoa de Lanhoso (Braga), Moreira (Porto), Lagoa (Faro) e Vilela (Vila Real).

 

Além destes destinos, também os anfitriões insulares, nos Açores e na Madeira, ganharam mais este verão com os viajantes de proximidade.

Durante o verão, os turistas portugueses clientes na Airbnb escolheram sobretudo destinos próximos, a menos de 500 km da sua residência principal. As receitas do acolhimento provenientes de reservas feitas por viajantes próximos (durante julho e agosto) cresceram cerca de 30% em Portugal, em comparação com o mesmo período do ano passado.

A percentagem de reservas feitas em Portugal por hóspedes que vivem num raio inferior a 500 km (ou 300 milhas) passou de 6% em fevereiro para 46% em maio.

Também durante a pandemia da covid-19, uma vez que o confinamento levou ao isolamento e a dificuldades económicas para tantas pessoas em todo o mundo, mais de 200.000 novos anfitriões abriram as suas casas aos primeiros hóspedes na Airbnb. Estes novos anfitriões vivem em mais de 200 países e regiões.

Ver comentários
Saber mais Viseu Airbnb Açores Castelo Branco Vila Real Faro Porto Portugal economia negócios e finanças turismo
Mais lidas
Outras Notícias