Imobiliário Mapa: Bancos avaliam casas em máximos da década. E na sua região?  

Mapa: Bancos avaliam casas em máximos da década. E na sua região?  

A avaliação bancária está a subir há 16 meses seguidos e atingiu o valor mais elevado da última década. E na sua região e cidade? Confira nos mapas do Negócios.

Os bancos continuam a aumentar o valor da avaliação das casas a que concedem financiamento. Em Julho o valor médio aumentou mais sete euros e atingiu um máximo da década em 1.187 euros por metro quadrado.

 

Os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que a avaliação das casas aumentou já pelo 16.º mês consecutivo, sendo na média nacional o aumento homólogo foi de 6,3%.

 

Além dos dados gerais para a média do país, que mostram esta tendência de crescimento, o INE também publicou os dados desagregados por regiões.

 

No mapa em cima pode ver os preços médios em Julho nas regiões NUTS III com dados publicados pelo INE. Ao clicar em cada região, pode observar a evolução dos preços desde Julho de 2017.

 

A região do Algarve é a que tem preços médios mais elevados (única acima dos 1.500 euros por metro quadrado). Segue-se a Grande Lisboa e o Alentejo Litoral, sendo que estas três regiões são as únicas com preços médios acima da média nacional.

 

Além dos dados desagregados por regiões, o INE publica também a evolução dos preços em 24 municípios de áreas predominantemente urbanas (ver mapa em baixo).

 

Faça zoom no mapa e seleccione o município que pretende analisar para ver a evolução dos preços nos últimos meses

 

No que diz respeito à variação homóloga por regiões, o Algarve e o Norte foram as regiões onde os preços mais subiram comparando com Julho de 2017.

 

A evolução positiva é mais um sinal que os bancos continuam disponíveis para financiar a compra de casa, num momento em que os preços do imobiliário mantêm uma tendência de recuperação. Apenas no primeiro semestre, os bancos concederam 4.774 milhões de euros em crédito à habitação, com o financiamento bancário para a compra de casa a manter um forte ritmo de crescimento. Este montante representa um crescimento de cerca de 25% face aos 3.821 milhões emprestados para esta finalidade no mesmo período do ano passado.

pub