Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Nova Vaga vai investir 28 milhões no maior buraco da Avenida da Boavista

O terreno em tempos ocupado pela fábrica Lusitana, na zona portuense do Foco, vai ser parcialmente ocupado por um projeto imobiliário.

O terreno de dois hectares, situado na portuense zona do Foco, vai ser parcialmente ocupado por um projeto imobiliário promovido pela Nova Vaga.
Rui Neves ruineves@negocios.pt 06 de Abril de 2021 às 11:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Há um quarto de século, a demolição das antigas instalações da Fábrica de Fibra Comercial Lusitana, na zona do Foco, no Porto, abriu uma enorme clareira à boca da Avenida da Boavista, deixando à vista o estádio do Boavista e o Bessa Hotel, entre outros empreendimentos.

 

Trata-se de um terreno com quase dois hectares, para onde esteve projetada a construção de uma urbanização de luxo, num investimento estimado em 175 milhões de euros e que tinha como promotor a Simoga, imobiliária do grupo Salvador Caetano que viria a falir.

 

Ainda que esventrado por uma nova rua, o buraco permaneceu até hoje.

 

Mas eis que, esta terça-feira, 6 de abril, a Savills anuncia que assessorou a venda de dois lotes deste terreno à Nova Vaga, "uma empresa que conta com cerca de 30 anos de experiência e qualidade na área da construção", enfatiza a consultora imobiliária Savills, em comunicado.

 

"O ativo, situado na Rua Fernando Pessoa e Rua Azevedo Coutinho, contempla duas parcelas inseridas em loteamento, com 3.380 metros quadrados de área de terreno e uma capacidade construtiva acima do solo de mais de 13 mil metros quadrados e está situado na zona CBD da cidade invicta, bem próximo da Torre Burgo e do Bessa Hotel", descreve.

 

O terreno é considerado pelo Plano Diretor Municipal como uma "’área de frente urbana contínua em consolidação’", permitindo a construção de um edifício, por lote, de uso misto mas predominantemente para uso residencial", realça a Savills.

 

"É uma aquisição importante para a empresa e que está perfeitamente alinhada com a estratégia delineada, localização de excelência, qualidade de construção e bons acabamentos. Juntamente com o empreendimento a construir na Praça Guilherme Pinto, em Matosinhos Sul, e os restantes investimentos em curso, marcará sem dúvida o futuro próximo da nossa empresa", afirma Artur Silva, administrador da Nova Vaga.

 

A sua localização "privilegiada e consolidada, coexistindo harmoniosamente com vários edifícios de escritórios, comércio e serviços, estruturas residenciais, tudo isto em covizinhança com uma das avenidas mais emblemáticas da cidade, a Avenida da Boavista, traduz-se num dos fatores de diferenciação e valorização desta propriedade", frisa a Savills.

 

O investimento total no projeto ultrapassará os 28 milhões de euros, revela.

 

"É sempre entusiasmante e gratificante concluir com sucesso processos de venda na cidade invicta, contribuindo desta forma para a sua valorização e crescimento. O Porto e esta localização em particular, tem baixos níveis de oferta residencial, pelo que, é com especial satisfação que, em período de pandemia, assistimos a esta inequívoca prova de resiliência do mercado, potenciada pelo trabalho de proximidade com os parceiros locais Porta 88 e o promotor nacional grupo Nova Vaga", refere Filipe Santos, associate director Porto division da Savills Portugal.

 

Ver comentários
Saber mais nova vaga zona do foco savills simoga salvador caetano avenida da boavista
Outras Notícias