Indústria Mobiliário vale 60% das exportações de Paços de Ferreira

Mobiliário vale 60% das exportações de Paços de Ferreira

Com uma área industrial de 150 hectares dedicada aos móveis, o concelho soma 735 empresas neste setor. Algumas das principais marcas da Capital do Móvel estão de malas aviadas para exibir na Alfândega do Porto.
Mobiliário vale 60% das exportações de Paços de Ferreira
Paulo Duarte
António Larguesa 29 de julho de 2019 às 15:30

As 735 fabricantes de mobiliário de Paços de Ferreira exportaram 244 milhões de euros em 2018, o que equivale a quase 60% do total das vendas ao exterior feitas pelas cinco mil empresas naquele concelho, que no ano passado ascenderam a 422 milhões de euros.

 

Os dados do Instituto Nacional de Estatística relativos ao peso deste setor tradicional foram compilados pela Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF), organizadora da feira Capital do Móvel, calculando ainda que a área industrial para a produção local de móveis ocupa cerca de 150 hectares.

 

Dezenas de empresas pacenses de mobiliário e decoração vão esta semana carregar os camiões com mercadoria para rumar à Alfândega do Porto. De 3 a 11 de agosto vão exibir as coleções nesta que é a considerada a principal mostra do setor a nível nacional, que à 53ª edição sai pela primeira vez de Paços de Ferreira com o objetivo de chegar a um "público diferenciado".

 

"Venha laurear a pevide à Alfândega do Porto". "Andor Bioleta para a Capital do Móbel!". "Fazer sala nunca custou tão pouco". Estas são algumas das expressões populares na cidade Invicta que estão a ser usadas pela AEPF, liderada por Rui Carneiro, na campanha de promoção da agência criativa Bazooka para este evento de entrada livre, que estará aberto de domingo a quinta-feira, das 10h às 20h, e às sextas e sábados com horário prolongado até às 22h.

 

A deslocalização de uma das edições da feira de mobiliário e decoração já tinha sido proposta em janeiro de 2018, na altura para a lisboeta FIL, mas a ideia acabou por ser chumbada pelos associados, que decidiram na altura manter a exibição no parque de exposições local, onde costumam marcar presença entre 75 a 100 expositores e perto de 20 mil pessoas durante uma semana.

 

Segundo os dados divulgados pela associação do setor (APIMA), as exportações portuguesas de mobiliário atingiram os dois mil milhões de euros em 2018, "ao nível do setor do calçado" neste indicador. França continuam a ser o principal destino para o mobiliário nacional, com uma quota de 33%, seguida de Espanha e Alemanha.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI