Miguel Relvas em operação para comprar a dona da Meo

O ex-ministro está a desenvolver contactos com investidores que querem comprar a Altice Portugal (ex-PT), dona da Meo, revela o semanário “Expresso”
Cátia Barbosa
pub
Negócios 25 de agosto de 2018 às 10:22

Miguel Relvas está a trabalhar com investidores que querem comprar a Altice Portugal (ex-PT), dona da Meo, cuja venda é dada como certa, revela o "Expresso", este sábado.

Contactado pelo semanário, Relvas disse que, para já, "não há nada".

Segundo o "Expresso", o ex-ministro e actual consultor internacional poderá contar nesta operação com o seu amigo e sócio Ricardo Santos Silva, investidor e gestor de fundos a partir da praça financeira de Londres, numa solução que deverá ser alargada a um sindicato de fundos.

Ricardo Santos Silva já esteve com Relvas na Pivot, empresa de que o ex-ministro foi accionista e que tentou, sem sucesso, comprar o banco Efisa. E desde Maio que estão juntos na tecnológica norte-americana Dorae, onde Relvas desempenha funções como director de Política e Sustentabilidade.  

Na altura, em comunicado, a Dorae escreveu que "20 anos de experiência [de Miguel Relvas] como político, onde o trabalho muitas vezes passa por encontrar bases comuns entre o interesse público e o interesse privado, e a experiência na construção de redes de contactos que potenciam o crescimento económico" fazem dele um "parceiro de excelência".

pub

Com uma dívida superior a 50 mil milhões de euros, a Altice tem vindo a vender activos no quadro de um forte programa de reestruturação. Em Portugal, ainda há dois meses anunciou a venda das três mil torres de telecomunicações que tinha no nosso país, o que lhe permitiu encaixar 660 milhões de euros.

Os prejuízos da Meo aumentaram bastante em 2017, atingindo os 157 milhões de euros, contra 13,2 milhões no ano anterior. Segundo o diário "Público", este agravamento resulta da factura com juros, da comissão anual da Altice, do aumento dos custos com conteúdos, da redução de efectivos e da queda das receitas.

Em Julho passado, a publicação "TMT Finance", especializada no sector das telecomunicações, avançou que a venda da Altice Portugal estava a ser avaliada e que a espanhola Telefónica e a francesa Orange estavam entre os interessados. "É falso e infundado que a Altice Europe esteja a considerar vender a operação da Altice Portugal. Não há qualquer processo de alienação em análise. Trata-se de rumores sem fundamento", reagiu, na altura, o grupo presidido por Patrick Drahi.

pub