Transportes Mais de metade das linhas de comboio está em mau estado

Mais de metade das linhas de comboio está em mau estado

Os 20 descarrilamentos dos últimos quatro anos ocorreram todos em troços de linhas considerados problemáticos, conclui o Público.
Mais de metade das linhas de comboio está em mau estado
Negócios 13 de março de 2018 às 08:58

"Medíocres" ou "más". É esta a classificação dada a quase 60% das linhas de caminhos-de-ferro portuguesas no que diz respeito ao seu desempenho, de acordo com um relatório da Infra-Estruturas de Portugal citado esta terça-feira, 13 de Março, pelo jornal Público.

Os piores troços são o Ovar-Gaia (35 quilómetros), na Linha do Norte, o Tua-Pocinho (32 quilómetros), na Linha do Douro, a via estreita de Espinho a Oliveira de Azeméis e de Aveiro a Sernada do Vouga (68 quilómetros).

O troço Ovar-Gaia, por exemplo, precisa de "necessidade de intervenção urgente". "A vida útil dos activos neste troço da Linha do Norte há muito que foi excedida e qualquer tipo de intervenção de manutenção produz efeitos pouco duradouros", lê-se no relatório de Maio de 2017.

As pontes estarão em bom estado, mas um em quatro túneis estão classificados como medíocres. O túnel de Caíde, com mais de um quilómetro, e o de Gaviarra, serão os piores.

As linhas estão classificadas numa escala de 0 a 8 e de acordo com o levantamento feito pelo jornal diário tem sido nas linhas com pior desempenho que têm ocorrido descarrilamentos. Até agora sem vítimas a registar, o que os quadros da Infra-Estrturas de Portugal considerarão uma "sorte". É o caso da Beira Alta, que tem metade do percurso classificado como medíocre, ou das linhas do Douro.

As falhas na manutenção devido às restrições orçamentais dos últimos anos, as rescisões e a redução de pessoal com conhecimento técnico, e o facto da entidade fiscalizadora ter apenas cinco pessoas afectas ao sector ferroviário terão contribuído para a degradação das linhas.




Saber mais e Alertas
pub