Turismo & Lazer Febre espanhola chega ao Porto

Febre espanhola chega ao Porto

A plataforma de eventos Fever, que entrou em Portugal por Lisboa, no verão do ano passado, chega agora à cidade do Porto, onde conta com uma equipa inicial de três pessoas.
Febre espanhola chega ao Porto
Rui Neves 11 de dezembro de 2019 às 10:30

Demorou, mas chegou. A febre espanhola, que entrou em Lisboa em agosto de 2018, alastra-se esta semana ao Porto, onde "perspetiva adicionar ao seu portefólio até mais de 100 eventos nos primeiros seis meses de 2020", anuncia a Fever, plataforma espanhola de eventos, esta quarta-feira, 11 de dezembro, em comunicado.

 

A entrada da Fever no Porto faz parte dos planos de crescimento da empresa, que anunciou no início deste ano um investimento de até cinco milhões de euros para a coorganização de eventos em Portugal até ao final do próximo ano.

 

"Acreditamos que a Fever poderá ser uma ótima ferramenta para dar visibilidade aos excelentes eventos e experiências que já existem na cidade do Porto, ajudando os organizadores a promover-se junto de uma audiência que procura o que fazer. E para os utilizadores, será muito mais fácil escolher o que fazer no fim de semana", afirma Gil Belford, diretor-geral da empresa em Portugal.

 

O escritório de Lisboa da Fever tem uma dúzia e meia de pessoas, enquanto a equipa do Porto vai começar com apenas três, que "será expandida ao longo do próximo ano", garante esta start-up de entretenimento e experiências baseada em dados de utilização e preferência dos utilizadores.

 

A Fever afirma que já promoveu 1.500 eventos na plataforma para a cidade de Lisboa, dos quais quase duas centenas foram originais organizados pela empresa, como foram os casos do primeiro "speed dating" gay no país, sessões de concertos acústicos com artistas emergentes, até jantares secretos e circos bizarros.

 

Também presente em várias cidades espanholas, assim como em Paris, Manchester, Londres, Los Angeles e Nova Iorque, a start-up espanhola já levantou mais de 75 milhões de dólares (67,7 milhões de euros) de investimento com parceiros como as portuguesas Portugal Ventures e Caixa Capital, a japonesa Rakuten ou a Atresmedia.

 

Este último investidor é um dos maiores grupos de media da Europa e produtor do êxito "La Casa de Papel". A propósito, a Fever adianta que o "escape room" La Casa de Papel, organizado pela empresa, contou, "no último ano, com mais de 80 mil participantes em Espanha, sendo o maior evento do mundo deste tipo".

 

"Uma das áreas em que vamos investir bastante será na cocriação de novos eventos através da análise de dados e tendências, juntamente com vários produtores locais", revela Diana Branco, responsável pela área dos Fever Originals.

 

"Para começar, iremos lançar com algumas datas para a nossa experiência "Candlelight", que são concertos de música clássica iluminados à luz das velas. Estes eventos têm sido um sucesso um pouco por todo o mundo, de Paris a Nova Iorque, e é com muitas expectativas que os trazemos para a cidade do Porto", avança Diana Branco.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI