Turismo & Lazer PCP defende “limites” ao turismo em Lisboa

PCP defende “limites” ao turismo em Lisboa

Os comunistas apresentaram uma proposta para que sejam fixados “limites críticos da intensidade turística no território da cidade”.
PCP defende “limites” ao turismo em Lisboa
Sérgio Lemos
Negócios 28 de agosto de 2018 às 09:37

O PCP defende que sejam definidos "limites na utilização do espaço da cidade" de Lisboa "por parte da actividade turística".

A notícia foi avançada pelo Observador, que explica que a proposta foi apresentada pelos vereadores comunistas João Ferreira e Ana Jara, na Câmara de Lisboa, no início de Julho, e será divulgada publicamente esta terça-feira de manhã.

Segundo explica o jornal, o PCP quer ver definida a "capacidade de carga turística em Lisboa", o que implica a fixação de um número máximo de pessoas que possam estar num espaço, como uma praça, sem comprometer os seus "padrões de qualidade".

A ideia é que o conceito seja aplicado nos processos de planeamento e ordenamento da cidade.

O texto da proposta, citado pelo Observador, refere um "processo de diagnóstico e de avaliação de impactes do turismo ao nível local, principalmente nas freguesias centrais de Lisboa".

A lei que permitirá às autarquias limitar o número de alojamentos locais já foi publicada. A Câmara de Lisboa já anunciou que vai travar o número de novas unidades na Mouraria, Castelo e Alfama.

Mas a legislação só entra em vigor 60 dias depois da publicação – o que tem gerado uma corrida aos novos registos de alojamento local.


Portugal já ultrapassou a Grécia nas receitas com o turismo. No ano passado, segundo dados da Organização Mundial de Turismo, o País ficou em quarto lugar no sul da Europa.




pub