Bolsa Bolsa nacional toca máximos e Pharol brilha com salto de 15%

Bolsa nacional toca máximos e Pharol brilha com salto de 15%

O PSI-20 alinhou no sentimento positivo vivido na Europa, fechando no verde e chegando a tocar máximos de cinco meses. A "estrela" foi a Pharol, que registou uma subida de mais de 15% durante a sessão.
A carregar o vídeo ...
Ana Batalha Oliveira 19 de março de 2019 às 16:48

A bolsa nacional fechou em alta, com o principal índice, o PSI-20, a somar 0,32% para os 5.300,51 pontos. Este índice chegou a tocar um máximo de cinco meses – 3 de outubro – durante a sessão, na sequência de uma subida de 0,67%.

 

A praça lisboeta avança em sintonia com as pares europeias. No Velho Continente, o Stoxx600, que agrega 600 cotadas europeias, manteve-se no verde pela quinta sessão consecutiva, perfazendo a mais longa série de subidas em cerca de um mês e meio. As ações continuam a beneficiar dos resultados trimestrais das empresas e dos estímulos anunciados pelo governo chinês, a que se somam as expectativas em torno da reunião da Fed que termina esta quarta-feira, e em que deverá ser reiterada a postura "paciente" da autoridade monetária em relação a mais subidas dos juros.

 

Por cá, o "peso pesado" Galp contribuiu para o desempenho positivo do índice, com uma subida de 1,06% para os 14,72 euros. A esta cotada de elevada preponderância junta-se a Jerónimo Martins, que fecha no verde ao avançar 0,90% para os 13,48 euros .

 

Em destaque na sessão esteve contudo a Pharol. A cotada fechou a somar 7,33% para os 20 cêntimos, depois de ter chegado a subir 15,18% para os 22 cêntimos – um máximo de quase sete meses, colocando-se em níveis não repetidos desde 24 de agosto. Isto, num dia animado para a bolsa brasileira – que ultrapassou a barreira dos 100.000 pontos - e para a empresa de telecomunicações Oi, da qual a Pharol é acionista. A Oi segue a somar 4,42% mas chegou a disparar mais de 6%.

 

De acordo com Pedro Oliveira, analista da GoBulling citado pela Bloomberg, os títulos desta cotada poderão estar ainda a beneficiar da reunião de acionistas da angolana Unitel, que vai eleger um novo conselho e discutir uma providência cautelar interposta pela PT Ventures contra a operadora de telecomunicações móveis angolana. A Unitel é detida em 25% pela Oi, na qual, por sua vez, a Pharol detém 4,9%. 

 

Também a Semapa se evidencia em terreno positivo, tendo avançado 0,93% para 15,20 euros. A papeleira regista este desempenho no dia em que foi divulgado que vai pagar um dividendo de 51,2 cêntimos por ação, em linha com a remuneração do ano passado.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI