Bolsa Lucros abaixo do esperado deixam BCP em queda

Lucros abaixo do esperado deixam BCP em queda

O BCP está a negociar em queda esta sexta-feira, depois de ter apresentado lucros abaixo das projeções dos analistas. Apesar disso, o CaixaBank BPI destaca a melhoria da qualidade dos ativos e dos níveis de capital.
Lucros abaixo do esperado deixam BCP em queda
Miguel Baltazar
Rita Faria 22 de fevereiro de 2019 às 10:18

O BCP está a negociar em queda esta sexta-feira, 22 de fevereiro, depois de ter anunciado ontem que os seus lucros subiram, em 2018, pelo segundo ano consecutivo, mas menos do que era esperado pelos analistas. O banco liderado por Miguel Maya também revelou que pretende pagar dividendos aos acionistas pela primeira vez desde 2010.

As ações do banco liderado por Miguel Maya descem 0,64% para 23,26 cêntimos, depois de já terem subido um máximo de 1,67% para 23,8 cêntimos.

Ontem, após o fecho do mercado, o BCP revelou que os seus lucros subiram 61,5% em 2018 para 301,1 milhões de euros, marcando assim o quarto ano consecutivo em que a instituição regista resultados líquidos positivos.

De acordo com dados da Bloomberg, as projeções dos bancos de investimento apontavam para uma média de 337,7 milhões de euros, pelo que os números revelados pelo banco foram menos positivos do que o esperado.

 

Isso mesmo sublinham os analistas do CaixaBank BPI que, numa nota de análise divulgada esta sexta-feira, referem que os lucros ficaram 28% abaixo do consenso e 5% abaixo das suas próprias projeções, sobretudo devido "às provisões mais elevadas (em consequência de uma redução maior dos ativos não produtivos no quarto trimestre)".

 

Já os custos ficaram 7% acima das estimativas enquanto a qualidade dos ativos e o rácio CET1 foram melhores do que o esperado.

 

"Podemos ter margem para uma pequena melhoria nas estimativas de resultados. Ainda assim, a revisão da tendência de resultados para 2019 também vai depender do guidance da gestão para o ritmo de redução do NPE em 2019", sublinham os analistas.

E acrescentam: "O rácio CET1 de 12% permite dissipar ou pelo menos mitigar as preocupações com o capital e com a capacidade do banco de lidar com o seu stock de NPA [ativos não produtivos]. O banco continua a apresentar melhorias na qualidade dos ativos".

Além dos resultados, o BCP anunciou que vai propor o pagamento de um dividendo que corresponde a um "payout" de 10% dos lucros pelo que deverão ser entregues aos acionistas 30,11 milhões de euros. 

Tendo em conta que o BCP tem 15,1 mil milhões de ações e o lucro por ação foi de 2 cêntimos, o dividendo a pagar aos acionistas deverá ser de 0,2 cêntimos. A este dividendo corresponde uma rendibilidade próxima de 1%. 

No entanto, o pagamento do dividendo está dependente do "ok" do Banco Central Europeu (BCE) que, de acordo com o CEO do BCP, Miguel Maya, não deverá colocar entraves. O gestor mostrou-se "tranquilo" e "confiante"de que "não haverá impedimentos" à proposta.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI