Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tombo da Jerónimo Martins leva PSI-20 a mínimos de um mês

A bola nacional abriu a sessão de hoje em queda, em linha com o sentimento em baixo no resto da Europa. A queda da retalhista portuguesa segue em destaque, na ressaca da apresentação de resultados.

Tiago Sousa Dias
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 30 de Julho de 2020 às 08:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • 16
  • ...
O índice PSI-20 abriu a sessão desta quinta-feira a desvalorizar 1,20% para os 4.345,96 pontos, acompanhando a tendência das congéneres europeias, numa manhã em que a Jerónimo Martins reage aos resultados de ontem.  

Lá fora, os investidores estão a assimilar o discurso de ontem de Jerome Powell, o presidente da Reserva Federal. Depois da reunião de política monetária do banco central norte-americano, que durou dois dias, nada se alterou. As taxas de juro mantiveram-se em mínimos, num intervalo entre 0% e 0,25% e Powell mostoru-se disponível a entrar de novo em cena, assim que for necessário para ajudar a maior economia do mundo. 

Hoje, os olhos vão estar postos na apresentação de resultados de três das maiores empresas do mundo. Apple, Amazon e Alphabet, dona da Google, vão apresentar os números relativos aos primeiros seis meses do ano, depois de ontem, os seus presidentes terem estado presentes no Congresso dos Estados Unidos, sob o escrutínio dos representantes, numa audiência sobre o mercado concorrencial. 

Por cá, a bolsa nacional regista 12 cotadas a negociar em queda na primeira pulsação do dia. Das restantes seis empresas, duas estão em alta e quatro abriram ainda a negociar de forma estável. 

O maior destaque vai para a Jerónimo Martins, que perde 5% para os 13,98 euros por ação, depois de ontem ter anunciado que registou no primeiro semestre uma quebra dos lucros de 36,2% face ao mesmo período do ano anterior, para 104 milhões de euros. No ano passado, no mesmo período, lucrou 163 milhões de euros.

As vendas consolidadas do grupo no primeiro semestre aumentaram 4,6% para 9,3 mil milhões de euros. Contabilizando apenas o segundo trimestre, as vendas caíram 1,3% para 4,6 mil milhões de euros.

A EDP segue a desvalorizar 0,49% para os 4,290 euros e a EDP Renováveis perde 0,89% para os 13,88 euros, num dia em que o Grupo Santander cortou a recomendação da empresa de "comprar" para "manter".

O BCP vai perdendo 0,70% para os 9,44 cêntimos por ação.
Ver comentários
Saber mais Jerome Powell Jerónimo Martins EDP Renováveis economia negócios e finanças mercado e câmbios bolsa macroeconomia mercado financeiro
Mais lidas
Outras Notícias