Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Wall Street recupera fôlego com ajuda das tecnologias

As bolsas do outro lado do Atlântico oscilaram entre ganhos e perdas, tenho acabado por conseguir fechar em alta apesar do renovar de tensões entre Washington e Pequim devido à origem do novo coronavírus.

Reuters
Carla Pedro cpedro@negocios.pt 04 de Maio de 2020 às 21:08
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O Dow Jones fechou a somar 0,11% para 23.749,76 pontos e o Standard & Poor’s 500 avançou 0,42% para 2.842,74 pontos.

 

Já o tecnológico Nasdaq Composite subiu 1,23% para se fixar nos 8.710,72 pontos, animado pelo sentimento positivo no setor.

 

Os índices foram pressionados durante grande parte da sessão pelo reavivar das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China devido à origem do novo coronavírus. E isto depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter ameaçado na passada quinta-feira, 30 de abril, impor novas tarifas a Pequim devido à forma como tem gerido o surto da covid-19.

 

Entretanto, na reta final da negociação, Wall Street conseguiu regressar ao verde, com destaque para as tecnologias.

 

Ainda assim, a prudência impera e há muitas interrogações no ar. Os investidores questionam-se, por exemplo, sobre se devem seguir o adágio bolsista que diz "venda em maio e vá embora" (sell in May and go away). Especialmente este ano, sublinha a CNN Business.

 

Maio não é o pior mês para o S&P 500, em termos sasonais, mas sim novembro – no entanto, o segundo trimestre traz sempre receios de selloffs, já que existe um padrão histórico, segundo uma nota de "research" do analista Adarsh Sinha do Bank of America Merrill Lynch.

 

"Este ano, a sasonalidade coincide com a pandemia mundial e com as tensões EUA-China, pelo que o mercado bolsista pode ficar de novo turbulento", salienta a CNN.

 

Na sessão de hoje, as cotadas do setor industrial foram as que mais penalizaram o Dow Jones, nomeadamente a Raytheon e a Boeing. Destaque também para a General Eletric, que cedeu 4,5% depois de anunciar o corte de 13.000 postos de trabalho. No entanto, o índice ganhou balanço na última meia hora da sessão e conseguiu recuperar fôlego.

 

Nos ganhos, a Apple, Google e Microsoft lideraram o movimento positivo do setor tecnológico.

Ver comentários
Saber mais wall street dow jones s&p 500 Nasdaq bolsas EUA
Mais lidas
Outras Notícias