Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

FTX pode reabrir portas? "Todas as hipóteses estão em cima da mesa", diz novo CEO

John J. Ray III não fechou a porta ao regresso da FTX à atividade, mas assegurou que para já o primeiro objetivo é reembolsar os lesados.

John J. Ray III é o homem que está a tentar reestruturar a insolvente FTX. Foi ouvido no Senado norte-americano para o colapso da plataforma cripto cofundada por Sam Bankman-Fried.
Elizabeth Frantz/Reuters
Fábio Carvalho da Silva fabiosilva@negocios.pt 19 de Janeiro de 2023 às 21:58

O novo CEO da FTX, John J. Ray III, encarregue da reestruturação da plataforma cripto, defendeu, em entrevista ao The Wall Street Journal, que "todas as opções" sobre o futuro da empresa "estão em cima da mesa", incluindo a reabertura de portas.

 

"Todas as opções estão em cima da mesa. Se houver um caminho possível não só o vamos estudar, como faremos dele realidade", assegurou Ray III.

Ainda assim, o novo CEO deixou claro que o primeiro objetivo é assegurar que são recuperados os fundos perdidos pelos clientes. Até ao momento, a FTX já conseguiu recuperar cerca de cinco mil milhões de dólares.

 

Questionado sobre a dimensão da dívida da empresa, Ray III não respondeu. Além de colocar ordem nas contas, a reestruturação da FTX também já passou pelo recurso aos despedimentos. Segundo a Bloomberg já foram cortados 2.400 pontos de trabalho.

 

Além disso, a equipa de Ray III está a tentar vender alguns investimentos da empresa, feitos através de "gastos sem controlo", segundo o novo CEO.

Por fim, quando confrontado com as mais recentes declarações de Sam Bankman-Fried - ex-CEO da FTX - de que a FTX US, a operação norte-americana do grupo, ainda está solvente e por isso com capacidade para reembolsar os clientes, Ray III foi claro: "este é o problema, ele [Sam Bankman-Fried] acha que tudo tem um grande barco de dinheiro".

 

Numa publicação no seu blogue, o "monge capitalista" defendeu que o quadro pintado em tribunal pela Sullivan & Cromwell, sociedade de advogados responsável pela defesa da FTX, sobre as finanças do grupo é "altamente enganador". Aliás, Bankman-Fried foi mais longe e afirmou mesmo que a FTX US tem dinheiro mais que suficiente para pagar aos clientes nos EUA.

 

No seu "melhor palpite", a operação norte-americana da FTX deve aos seus clientes entre 181 milhões de dólares a 497 milhões de dólares.

 

Ver comentários
Saber mais Sam Bankman-Fried John J. Ray FTX Wall Street Journal política Informação sobre empresas grandes empresas política (geral) governo (sistema)
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio