Bolsa Bolsas dos EUA fecham em queda após Fed

Bolsas dos EUA fecham em queda após Fed

A Fed não parece estar inclinada para descer os juros nos EUA, o que ditou a descida das bolsas americanas.
Bolsas dos EUA fecham em queda após Fed
EPA
Sara Antunes 01 de maio de 2019 às 21:31
As bolsas dos EUA fecharam a sessão em queda, com os investidores desapontados com o afastamento por parte da Reserva Federal de uma potencial descida de juros nos país. 

O Dow Jones fechou o dia a perder 0,61% para 26.430,14 pontos, o S&P500 recuou 0,75% para 2.923,73 pontos e o Nasdaq cedeu 0,57% para 8.049,64 pontos.

A Fed decidiu manter a sua política, sem alterar a taxa de juro do país e mantendo a mensagem de paciência em relação ao futuro. A contribuir para este sentimento negativo estiveram as declarações do presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, que considerou que a atual política monetária "está apropriada", acrescentando não "ver um caso forte para alterar" os juros numa direção ou noutra.

 

Esta postura assumida por Powell, na conferência de imprensa que se seguiu à reunião da Fed, foi assumida pelos investidores como um fechar a de porta a uma descida de juros próxima. O que acabou por ditar a queda das bolsas dos EUA, que iniciaram a sessão a subir.

 

"Tem havido alguma discussão no último mês e algumas pessoas pensavam que o próximo passo da Fed seria de corte [de juros]", afirmou Peter Jankovskis, da Oakbrook, à Bloomberg. "Dessa perspetiva, as pessoas podem estar desapontadas por ele basicamente ter apontado para nenhuma ação", acrescentou.

No setor financeiro, o Bank of America perdeu mais de 1%, o Goldman Sachs cedeu mais de 0,5%. Já a Alcoa caiu mais de 2,5%.

Do lado oposto esteve a Apple, fechando a subir quase 5%, depois de ter reportado os resultados do segundo trimestre do ano. As receitas recuaram 5,1% para 58 mil milhões de dólares, mas superaram as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para um volume de negócios de 57,5 mil milhões de dólares. Já os lucros desceram para 11,6 mil milhões, ou 2,46 dólares por ação, quando os analistas previam 2,37 dólares por título.

 

E se os resultados foram positivos, as perspetivas da empresa animaram ainda mais os investidores. A tecnológica liderada por Tim Cook prevê que as suas vendas se situem entre 52,5 e 54,5 mil milhões de dólares no terceiro trimestre, quando os analistas previam um valor médio de 52,2 mil milhões.






Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI