Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Representantes dos EUA proibem venda de petróleo da reserva estratégica à China

Joe Biden colocou no mercado 180 milhões de barris desta reserva no final de 2022, para procurar contrariar a subida do preço da gasolina, em contexto de cortes de produção por parte da OPEP e da interdição do petróleo russo, em resultado da invasão da Ucrânia pelas tropas do Kremlin.

EPA
Lusa 13 de Janeiro de 2023 às 08:10
A Câmara dos Representantes, controlada agora pelos republicanos, aprovou quinta-feira o bloqueio da venda de petróleo das reservas de emergência do país à China.

A proposta, uma das primeiras apresentadas pela nova maioria, vai proibir o Departamento de Energia de vender petróleo da Reserva Petrolífera Estratégica a empresas de propriedade ou sob influência do Partido Comunista da China. Foi aprovada facilmente, por 331 votos contra 97, com 113 representantes democratas a votarem ao lado dos republicanos.

A representante Cathy McMorris Rodgers, eleita pelo Estado de Washington, que é a nova presidente da comissão parlamentar de Energia e Comércio, disse que a proposta vai ajudar a acabar com o que classificou "abuso das reservas estratégicas" pelo presidente Joe Biden.

O chefe de Estado norte-americano colocou no mercado 180 milhões de barris desta reserva no final de 2022, para procurar contrariar a subida do preço da gasolina, em contexto de cortes de produção por parte da OPEP e da interdição do petróleo russo, em resultado da invasão da Ucrânia pelas tropas do Kremlin.

Estas vendas colocaram o nível das reservas estratégicas no ponto mais baixo desde a década de 1980.

A Casa Branca adiantou em dezembro que ia começar a repor os barris alienados, agora que os preços dos combustíveis baixaram.

A medida dos republicanos foi também apresentada como a primeira de uma série de propostas que visam "aumentar a produção de energia" nos EUA, avançou Rodgers, aludindo à vontade do seu campo político de promover a produção dos combustíveis fósseis.

"Há mais para aparecer. Isto é apenas o principio", disse a congressista.
Ver comentários
Saber mais EUA China Câmara dos Representantes economia negócios e finanças energia
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio