Outros sites Cofina
Notícia

O que é a Forestis

Impulsionar a certificação florestal é talvez o maior desafio da Forestis, um associação que conta com mais de três dezenas de organizações de proprietários florestais que representam 17.500 proprietários do setor.

Filipe S. Fernandes 29 de Dezembro de 2020 às 14:15
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Fundada em 1992, a Forestis - Associação Florestal de Portugal é um movimento associativo de âmbito nacional, de utilidade pública, sem fins lucrativos, que tem por objeto o apoio à gestão, a defesa e o associativismo na floresta privada e comunitária. Pela sua atividade e papel, foi reconhecida como equiparada a Organização Não Governamental do Ambiente em 2001.

Conta com 33 Organizações de Proprietários Florestais (OPF) associadas que representam e apoiam tecnicamente mais de 17.500 proprietários do setor. Esta representatividade faz da Forestis um agente dinamizador da área.

A Forestis tem uma equipa multidisciplinar que gere e executa projetos estratégicos e inovadores, quer no âmbito da adoção de novas tecnologias ao serviço da floresta quer na transferência de know-how sobre assuntos atuais como a promoção da gestão florestal sustentável e a proteção dos espaços florestais contra incêndios e pragas e doenças.

A cooperação com entidades do meio científico e tecnológico, assim como com organizações congéneres nacionais e internacionais, é privilegiada como forma de trabalho e como veículo para modernizar e inovar em termos técnicos e organizacionais.

Principais desafios

Como refere Luís Braga da Cruz, presidente da Forestis, “impulsionar a certificação florestal é talvez o maior desafio da Forestis”. Com 11 das suas OPF, foram criadas cinco iniciativas para a certificação florestal regional, implicando mais de vinte entidades regionais, participantes. Mais recentemente, animam um projeto para a criação do Sistema de Gestão Florestal Sustentável (certificação florestal FSC de grupo), com nove outras OPF do movimento.

“Continuamos a disseminar informação, a mobilizar vontades e recursos e a melhorar a gestão dos espaços florestais. Com as nossas OPF estamos envolvidos num contrato-programa plurianual com o ICNF para a constituição e dinamização de dez agrupamentos de baldios”, sublinha.

Tem ainda projetos em diferentes domínios da bioeconomia, da automação, da valorização da biomassa florestal para produção de calor a usar em estufas, do combate à erosão do solo em áreas ardidas, entre outras. “A Forestis procura participar em todos os desafios que lhe são feitos para participar em projetos de investigação lançados por parceiros internacionais e nacionais que possam valorizam o seu trabalho, em especial pela valorização económica da floresta”, sublinha Luís Braga da Cruz.