Oscar Herencia
Oscar Herencia 12 de dezembro de 2019 às 15:21

A Inteligência Artificial ao serviço dos seguros

A Inteligência Artificial já não é o futuro. Há muito que faz parte do nosso presente. Consegue identificar a primeira vez que pediu ajuda à Siri, ou perguntou ao Shazam que música era aquela no bar do café?

No verão de 2001 Steven Spielberg lançou nos cinemas o filme "AI: Inteligência Artificial". A obra de ficção científica mostrava um futuro onde Humanos e Robôs conviviam lado a lado, com as máquinas a terem uma total independência do ser humano. O filme lançava na altura um possível futuro muito rabiscado e imaginado. Quase 20 anos depois o termo inteligência Artificial (IA) já faz parte das conversas do dia a dia.

 

A Inteligência Artificial já não é o futuro. Há muito que faz parte do nosso presente. Consegue identificar a primeira vez que pediu ajuda à Siri, ou perguntou ao Shazam que música era aquela no bar do café? Quando o Google Maps apresentou o melhor caminho para chegar a horas a uma reunião de trabalho? A Inteligência Artificial já faz parte do nosso mundo atual.

 

Mas será que a Inteligência Artificial nos ajuda na vida profissional? Neste caso na indústria seguradora. Pergunto-me se a IA e a digitalização podem melhorar o meu trabalho.

 

Uma simples reflexão e tenho resposta. A Inteligência Artificial, em conjunto com a transformação digital, é um elemento chave para desenvolver e fazer progredir o mundo dos seguros. Como?

 

Para criar um seguro de qualidade há duas tarefas fundamentais: compreender o cliente, algo absolutamente necessário, e  personalizar o seguro, em função desse conhecimento prévio. A IA vai permitir executar e aperfeiçoar essas tarfas de forma muito mais eficaz.

 

Primeiro é fundamental compreender o comportamento do cliente. Por exemplo, a Inteligência Artificial dos automóveis consegue analisar a forma de condução do condutor, e assim perceber se o cliente é calmo ao volante, se gosta de conduzir em autoestrada ou se prefere Estradas Nacionais, ou mesmo se conduzir é somente uma obrigação para o trabalho ou se andar de carro é uma paixão do próprio condutor.

 

E o que a IA permitiria fazer com essa informação? Personalizar o seguro de acordo com as reais necessidades do cliente, criando uma melhor experiência do cliente e aumentando a relação com a marca.

 

A Inteligência Artificial acabará por transformar a indústria seguradora de uma forma positiva. Do lado da indústria, vai ser possível oferecer microsseguros completamente personalizados de acordo com as necessidades de cada cliente. Apresentando qualidade, rapidez, flexibilidade e mais que tudo, inovação. Viveremos em ligação permanente com a IA para, tal como no final do filme de Steven Spielberg, poder trazer felicidade aos que nos são mais próximos.

 

Vice-Presidente do Sul da Europa & General Manager da MetLife na Ibéria

Marketing Automation certified by E-GOI