Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Joaquim Aguiar 25 de Fevereiro de 2021 às 09:20

Sociedade dividida e democracia

Perder o chão das taxas de juro baixas significa, para estas sociedades divididas e polarizadas, de poder político débil, cair no abismo, do qual já não podem sair pelos meios próprios.

  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...

A FRASE...

 

"O chão das taxas de juro baixas pode já estar para trás de nós." 

 

Cristina Casalinho, Público, 17 de Fevereiro de 2021

 

A ANÁLISE...

 

Uma sociedade dividida é estruturada por polarizações (antagonismos baseados em conflitualidades de tipo étnico, de tipo religioso ou justificados pelas interpretações da origem das desigualdades sociais, que produzem visões do futuro radicalmente distintas) que geram democracias instáveis e poderes políticos débeis. Quando votam, os eleitores reflectem as polarizações das sociedades em que vivem e não se podem surpreender, se os partidos políticos não corrigirem e relativizarem estas divisões antagónicas, que o poder que legitimam seja também um poder dividido, instável e débil. O problema não está na democracia, está nos agentes políticos que se servem dos dispositivos democráticos para acentuarem as polarizações políticas e a divisão da sociedade. Os pensadores clássicos da estratégia na China consideravam que a arte suprema da guerra era vencer sem combater: quem soubesse dividir as sociedades dos outros podia vencê-los sem os combater.

 

Uma sociedade dividida por polarizações políticas configura um específico campo de possibilidades, que fica mais orientado para o distributivismo interno (para reduzir a conflitualidade) do que para a comparação competitiva com as outras sociedades e, menos ainda, para a preparação da defesa contra possíveis intenções externas de dominação. Uma sociedade dividida é uma sociedade virada para dentro de si própria. E a sua preferência pelo distributivismo implica que tenha uma grande tolerância ao endividamento, que pode mesmo evoluir para uma propensão natural, e à estagnação do seu crescimento económico, que aparece como o efeito natural dessa divisão polarizada da sociedade.

 

O campo de possibilidades de uma sociedade dividida, que é também um sistema político de poder débil, encontra o seu obstáculo intransponível quando chega ao fim a possibilidade de recurso ao endividamento de que depende para sustentar o distributivismo que usa para reduzir a conflitualidade - mas que não serve de nada se não conseguir escapar à estagnação do seu crescimento económico e dos seus indicadores de competitividade. É por isso que perder o chão das taxas de juro baixas significa, para estas sociedades divididas e polarizadas, de poder político débil, cair no abismo, do qual já não podem sair pelos meios próprios. 

 

Artigo em conformidade com o antigo Acordo Ortográfico

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências diretas e indiretas das políticas para todos os setores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias