Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Indicador de clima económico atingiu nível pré-pandemia em outubro

Preços na indústria atingem os valores mais elevados desde 2011. INE explica esta trajetória com o forte crescimento dos preços da energia e dos bens intermédios.

O desconfinamento aumentou a atividade económica e a confiança.
Ricardo Jr
Paulo Ribeiro Pinto paulopinto@negocios.pt 18 de Novembro de 2021 às 11:24
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...
Em outubro, o indicador de clima económico aumentou, atingindo o nível registado em fevereiro do ano passado, ou seja, antes da crise pandémica atingir o país em março de 2020.

"Em outubro, o indicador de clima económico aumentou, após ter apresentado um comportamento irregular desde julho, atingindo o nível registado em fevereiro de 2020", refere a síntese económica de conjuntura divulgada esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Este indicador sintetiza os saldos de respostas extremas das questões relativas aos inquéritos qualitativos às empresas.

O INE refere por outro lado que "os indicadores quantitativos de síntese da atividade económica e do consumo privado continuaram a desacelerar em setembro de 2021, enquanto o indicador de investimento apresentou taxas de variação homólogas negativas em agosto e setembro."



Preços na produção com crescimento mais elevado desde 2011

O INE indica sublinha ainda a tendência marcada para o aumento dos preços na indústria, atingindo em outubro o crescimento mais elevado desde 2011.

"Na informação quantitativa disponível, é de salientar a aceleração do índice de preços na produção da indústria transformadora que registou em outubro o crescimento mais elevado da presente série, atingindo uma taxa de variação homóloga de 11,0% (10,1% no mês anterior)", lê-se no destaque publicado esta sexta-feira.

A explicar este comportamento estão dois fatores identificados pelo INE: os preços da energia e dos bens intermédios. "Excluindo a componente energética, este índice aumentou 8,3% em termos homólogos, após ter apresentado uma variação de 7,5% em setembro", refere o gabinete de estatística.

(Notícia atualizada às 11:40 com mais informação)
Ver comentários
Outras Notícias