Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vacina covid à base de tabaco à espera de ensaios clínicos

Existem 24 candidatas a vacinas em ensaios clínicos, embora a taxa de sucesso de tais programas seja normalmente de 10%.

Reuters
Ana Batalha Oliveira anabatalha@negocios.pt 01 de Agosto de 2020 às 17:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Uma vacina experimental contra a covid-19 à base de plantas de tabaco pode começar ensaios clínicos dentro de semanas.

A British American Tobacco (BAT), fabricante dos cigarros Lucky Strike, espera a qualquer momento a resposta da FDA, a agência que regula fármacos e alimentos nos EUA, disse o diretor de marketing da empresa, Kingsley Wheaton.

"Estamos otimistas", disse Wheaton em entrevista. "É uma parte importante de nossa estratégia tentar construir um futuro melhor."

As fabricantes de tabaco, cujos produtos são associados a danos nos pulmões, estão a participar na corrida para desenvolver uma vacina contra o coronavírus, que se espalha principalmente por gotículas respiratórias. A Medicago, empresa de biotecnologia controlada parcialmente pela Philip Morris International, também está a desenvolver uma vacina à base de plantas que poderia estar disponível no primeiro semestre de 2021, se for bem-sucedida.

Existem 24 candidatas a vacinas em ensaios clínicos, embora a taxa de sucesso de tais programas seja normalmente de 10%, disse na semana passada a cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde, Soumya Swaminathan.

A Kentucky BioProcessing, subsidiária da BAT, usa plantas de tabaco para o desenvolvimento da vacina experimental, que deriva da sequência genética do Sars-CoV-2, o vírus que causa a Covid. Elementos da vacina acumulam-se nas plantas de tabaco dentro de seis semanas, enquanto outros métodos levam meses, de acordo com a BAT.

Ver comentários
Saber mais Kingsley Wheaton BAT saúde questões sociais ciência e tecnologia
Outras Notícias