Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

A cronologia dos resgates de Portugal, Irlanda e Grécia (act.)

No espaço de um ano foram três os países do euro que pediram ajuda externa. Recorde aqui os principais acontecimentos e notícias que levaram Portugal, Irlanda e Grécia à inevitabilidade de solicitarem apoio dos seus parceiros europeus e FMI.

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 04 de Maio de 2011 às 18:38
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

PORTUGAL

16 de Maio de 2011 Ministros das Finanças da Zona Euro e da União Europeia aprovam plano de ajuda a Portugal. A primeira tranche, no valor de 18 mil milhões de euros, deverá chegar antes das eleições de 5 de Junho

3 de Maio de 2011
Valor total do apoio é de 78 mil milhões de euros. O plano de ajuda a Portugal consagra um valor total ligeiramente inferior ao referido na reuniao do Ecofin em que a assistência financeira foi aprovada e que apontava para 80 mil milhões de euros.

3 de Maio de 2011 Discurso de Sócrates a anunciar acordo com troika (ler discurso na íntegra)

23 de Abril de 2011O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu hoje em alta o défice de 2010 para 9,1% do Produto Interno Bruto (PBI), resultado do impacto de três contratos de parcerias públicas privadas (PPP) (ler notícia na íntegra)

11 de Abril de 2011 Missão técnica da Comissão Europeia começa a chegar a Lisboa

11 de Abril de 2011 Poul Thomsen, dinamarquês, e funcionário do FMI há mais de 20 anos, lidera a equipa do Fundo Monetário Internacional nas negociações com Portugal

6 de Abril de 2011 José Sócrates confirma que o Governo já dirigiu à Comissão Europeia um pedido de ajuda financeira de forma a garantir as condições de financiamento do País (ler notícia na íntegra)

6 de Abril de 2011
Primeiro-ministro convoca Governo para uma reunião em São Bento

6 de Abril de 2011 Portugal pede ajuda externa. O ministro das Finanças entende que Portugal tem de pedir ajuda já. Em resposta por escrito a perguntas colocadas pelo Negócios Fernando Teixeira dos Santos afirma que "é necessário recorrer aos mecanismos de financiamento disponíveis no quadro europeu".

5 de Abril de 2011 Moody’s reduz "rating" das obrigações de Portugal de A3 para Baa1 e diz que poderá efectuar mais cortes

1 de Abril de 2011 Fitch corta "rating" de Portugal em três níveis para próximo de "lixo", de "A-" para "BBB-"

31 de Março de 2011 Presidente da República dissolve Parlamento e anuncia eleições legislativas para 5 de Junho.

29 de Março de 2011
Standard & Poor’s volta a cortar o "rating" de Portugal, desta vez para BBB-, um nível acima de "junk" (ler notícia na íntegra)

25 de Março de 2011 Depois da Fitch, a Standard & Poor’s a corta o “rating” de Portugal para BBB. A dimensão do corte foi a mesma, bem como a explicação para a revisão em baixa: a queda do Governo

24 de Março de 2011 Fitch corta "rating" de Portugal em dois níveis, apesar de ter afirmado que a crise política não teria implicações do país (ler notícia na íntegra)

23 de Março de 2011
O primeiro-ministro faz uma declaração ao País, onde anuncia a sua demissão e critica duramente os partidos da oposição. "Todos os partidos rejeitaram as medidas que o Governo propôs para evitar que Portugal tivesse de recorrer a uma ajuda externa, recusando qualquer negociação, qualquer compromisso, qualquer espaço para o debate político."

23 de Março de 2011 José Sócrates reúne-se com Cavaco Silva em Belém, onde apresenta a sua demissão

23 de Março de 2011 Partidos da oposição chumbam PEC IV (ler notícia na íntegra)

15 de Março de 2011
Moody’s baixa "rating" da dívida portuguesa em dois níveis de A1 para A3. A perspectiva para a economia portuguesa é "negativa"

14 de Março de 2011 Sócrates faz comunicação ao País onde afirma que "uma crise política só agravaria a situação de Portugal" (ler notícia na íntegra)

14 de Março de 2011
Sócrates convoca Conselho de Ministros extraordinário, após PSD anunciar que não apoia as novas medidas de austeridade

11 de Março de 2011 Governo apresenta PEC IV. O ministro das Finanças anuncia reforço das medidas de consolidação orçamental ainda em 2011, como "medida de precaução" (ler notícia na íntegra)

IRLANDA

15 de Abril de 2011 Moody’s corta "rating" da Irlanda e coloca-o a um passo do "lixo" (ler notícia na íntegra)

6 de Março de 2011
Líderes do Fine Gael e do partido trabalhista chegam a acordo para formar o novo Executivo e apresentam o programa governamental

28 de Fevereiro de 2011
Fine Gael (centro-direita) confirma que o líder do partido e futuro primeiro-ministro, Enda Kenny, iniciou contactos com o partido de centro-esquerda, Labour, para que seja reeditado um governo conjunto, à imagem do que já sucedeu no passado. Os Trabalhistas foram o segundo partido mais votado (19,4%)

25 de Fevereiro de 2011
Fine Gael ganha as eleições com 36,1% dos votos

2 de Fevereiro de 2011
Standard & Poor’s baixa "rating" da Irlanda em um nível, para A- (ler notícia na íntegra)

1 de Fevereiro de 2011 Brian Cowen marca as eleições legislativas para 25 de Fevereiro

28 de Janeiro de 2011
O primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, anuncia que vai dissolver o parlamento a 1 de Fevereiro, e agendar a data das eleições no país

25 de Janeiro de 2011 Irlanda paga juro de 6% pela primeira tranche do empréstimo europeu

5 de Janeiro de 2011
Primeira tranche da ajuda de 85 mil milhões de euros deverá ser entregue no dia 12 de Janeiro, através do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira

23 de Dezembro de 2010 O Governo irlandês aprova a injecção de 3,7 mil milhões de euros no Allied Irish Banks (AIB), dando um passo na efectiva nacionalização do segundo maior banco do país, que, no espaço de dois anos, perdeu mais de 80% do seu valor de mercado

9 de Dezembro de 2010 Fitch reduz em três níveis o "rating" da dívida irlandesa para "BBB+"

28 de Novembro de 2010 Irlanda recebe 85 mil milhões à taxa de 5,83%. O apoio à Irlanda de 85 mil milhões de euros é em 17,5 mil milhões de euros financiado com recursos irlandeses. A taxa média de juro é de 5,83%. Para a banca irão 35 mil milhões de euros, dez mil milhões dos quais de imediato. E os irlandeses ganharam mais um ano para corrigir o seu défice público (ler notícia na íntegra)

24 de Novembro de 2010 Irlanda apresenta plano de austeridade. O plano tem a duração de quatro anos e a dimensão de 15 mil milhões de euros, com 10 mil milhões de euros a virem do corte de despesas e os restantes cinco mil milhões através do aumento de impostos (ler notícia na íntegra)

24 de Novembro de 2010 Agência de notação financeira Standard&Poor’s corta o "rating" da Irlanda em dois níveis, mantendo um "outlook" negativo para o país, considerando que o pedido de ajuda para o sistema financeiro irlandês deverá agravar as necessidades de financiamento do governo

22 de Novembro de 2010 Brian Cowen dissolve parlamento após Orçamento e anuncia eleições para 2011 (ler notícia na íntegra)

22 de Novembro de 2010
Verdes abandonam coligação governamental e forçam eleições gerais na Irlanda em Janeiro (ler notícia na íntegra)

22 de Novembro de 2010
Seis meses depois da Grécia, Irlanda recorre a ajuda internacional. Dublin aprovou o pedido de ajuda e já recebeu já o "ok" dos ministros das Finanças da Zona Euro. Deverá receber entre 80 a 90 mil milhões de euros, sendo parte do dinheiro canalizado para evitar o colapso do sector financeiro do país (ler notícia na íntegra)

18 de Novembro de 2010 Irlanda aceita "plano de contingência" para a banca. Após ter estado reunido com uma missão de peritos europeus e do FMI, que chegaram hoje à capital irlandesa, o Governo anunciou que aceita a criação de um "plano de contingência" para salvar o sector bancário do país (ler notícia na íntegra)

18 de Novembro de 2010 Irlanda preparada para eventualidade de pedir formalmente ajuda à comunidade internacional para resgatar o seu sector financeiro (ler notícia na íntegra)

18 de Novembro de 2010
Missão da UE e do FMI chega à Irlanda. Menos de 48 horas depois de ter aceite a contragosto ponderar uma ajuda internacional para resgatar a banca, Dublin recebe hoje a primeira missão de peritos europeus e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para começar a preparar um eventual programa de apoio (ler notícia na íntegra)

16 de Novembro de 2010 O presidente do Eurogrupo confirma que a Irlanda aceitou negociar com a Comissão, BCE e FMI um "possível programa" de apoio à banca irlandesa

16 de Novembro de 2010 Primeiro-ministro irlandês admite que o país vive uma situação "frágil" mas garante que as suas finanças públicas estão controladas e que não pediu ajuda à União Europeia (ler notícia na íntegra)

16 de Novembro de 2010 Dublin aberta a ajuda externa para recapitalizar a banca. Brian Cowen, primeiro-ministro irlandês, sinaliza que o país está disponível para aceder ao fundo europeu de estabilização financeira, com a ajuda a ser dirigida para o sector financeiro (ler notícia na íntegra)

4 de Novembro de 2010 Irlanda apresenta plano de austeridade. O objectivo é reduzir o défice orçamental para um intervalo entre os 9,25% e os 9,50% em 2011



GRÉCIA



27 de Abril de 2011 Os receios de reestruturação da dívida helénica levaram a remuneração das obrigações gregas a ultrapassar os 25% pela primeira vez na história da Zona Euro.

15 de Abril de 2011 Grécia anuncia novo pacote de reformas no valor de 26 mil milhões (ler notícia na íntegra)

11 de Março de 2011 Cimeira Europeia: líderes europeus baixam a taxa de juro do empréstimo concedido à Grécia em 100 pontos base e prolongam prazo do empréstimo para 7,5 anos.

7 de Março de 2011
Moody’s completa revisão da dívida grega iniciada a 16 de Dezembro de 2010, com a redução do "rating" de "Ba1" para "B1" (o que representa uma redução de três níveis) e a manutenção da perspectiva da dívida "negativa".

29 de Novembro de 2010
Grécia vai ganhar mais quatro anos e meio para pagar ajuda financeira. O prazo de três anos dado à Grécia para pagar o apoio financeiro europeu e do FMI, que era de três anos, vai passar para os sete anos e meio concedidos à Irlanda (ler notícia na íntegra)

15 de Novembro de 2010 Défice grego revisto em alta para 15,4%. De acordo com os novos valores do Eurostat, a Grécia passou a ser o país europeu que em 2009 teve o maior défice orçamental, ultrapassando os 14,4% da Irlanda, e o que exibiu simultaneamente a mais elevada dívida pública, que fica agora acima do "recorde" de 116% de Itália.

4 de Outubro de 2010
Governo revela Orçamento do Estado para 2011. O Executivo anuncia novas medidas de austeridade no sentido de reduzir o défice orçamental para 7,6% do produto interno bruto em 2011

5 de Agosto de 2010
Fundo Monetário Internacional confirma segunda tranche de ajuda financeira à Grécia. Poul Thomsen, responsável pela missão do FMI na Grécia, elogia os progressos de Atenas na implementação das medidas de austeridade

14 de Junho de 2010 A agência de notação financeira Moody’s anunciou um corte do "rating" da dívida pública grega em quatro níveis, para "lixo" (ler notícia na íntegra)

2 de Junho de 2010 O ministro das Finanças grego, George Papaconstantinou, anuncia que o país vai acelerar os processos de privatizações para reduzir a dívida pública. Os sectores que serão privatizados são os correios, águas e ferroviário. O objectivo é arrecadar três mil milhões de euros em três anos

18 de Maio de 2010 Grécia recebe primeira tranche do empréstimo de emergência, no valor de 14,5 mil milhões de euros

2 de Maio de 2010 Os ministros das Finanças da Zona Euro (Eurogrupo) chegam a acordo para concederem à Grécia um empréstimo global, conjuntamente com o Fundo Monetário Internacional, de 110 mil milhões de euros ao longo dos próximos três anos

29 de Abril de 2010 Grécia aceita novo plano de austeridade de 24 mil milhões que implica um aumento do IVA e o congelamento de salários durante três anos para os funcionários públicos (ler notícia na íntegra)

23 de Abril de 2010
Primeiro-ministro grego, George Papandreou, oficializa pedido de ajuda aos países da Zona Euro e ao Fundo Monetário Internacional. Ao todo a Grécia poderá receber até 45 mil milhões de euros: 30 mil milhões dos países da Zona Euro e 15 mil milhões do Fundo Monetário Internacional (ler notícia na íntegra)

22 de Abril de 2010 Moody’s reduz o "rating" da dívida grega de "A2" para "A3" e admite voltar a fazê-lo

22 de Abril de 2010 Pela quarta vez desde o início do ano, a Grécia foi paralisada por mais uma greve geral, no dia em que o ministro das Finanças chega a Washington para conversações directas com o director-geral do FMI no sentido de acelerar os preparativos para desencadear uma ajuda internacional

22 de Abril de 2010
Eurostat admite que défice grego pode superar os 14% do produto interno bruto (PIB) considerando os gastos com a Segurança Social. A dívida total é equivalente a 115,1% do PIB. Juros da dívida voltam a disparar

20 de Abril de 2010
Arrancam em Atenas, as negociações do pedido de ajuda. Cerca de duas dezenas de técnicos enviados pela Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu começam a negociar com o Governo grego os termos e as condições de um empréstimo internacional (ler notícia na íntegra)

19 de Abril de 2010 Apesar do pedido de ajuda, os juros das obrigações da Grécia continuam a subir e o "spread" face à Alemanha atinge o nível mais elevado desde a criação do euro

15 de Abril de 2010 Grécia desencadeia pedido de ajuda internacional. Numa carta enviada a Jean-Claude Trichet, Dominique Strauss-Kahn e a Olli Rehn, o ministro das Finanças grego "solicita conversações" com os três dirigentes, referindo que o faz na sequência do acordo político alcançado no Domingo sobre uma eventual ajuda dos países da Zona Euro à Grécia. FMI manda missão ao país (ler notícia na íntegra)

11 de Abril de 2010 Após muitos avanços e recuos, a Zona Euro decide emprestar 30 mil milhões de euros à Grécia, caso o país venha a pedir ajuda. O Fundo Monetário Internacional contribui com 10 mil milhões de euros (ler notícia na íntegra)

4 de Março de 2010 O governo grego apresenta um orçamento que convence Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia. Apesar da contestação sentida nas ruas, o primeiro-ministro grega anunciou a subida do IVA de 19% para 21%, um corte de 33% nos subsídios (Natal, Páscoa e férias) dos funcionários públicos e aumento dos impostos sobre combustíveis, tabaco e bebidas alcoólicas. Objectivo: reduzir o défice orçamental de 12,7% para 8,7% do PIB até ao final do ano

Ver comentários
Outras Notícias