Economia Banco de Portugal gasta 17.448 euros em coletes de protecção balística

Banco de Portugal gasta 17.448 euros em coletes de protecção balística

O Banco de Portugal celebrou um contrato para a compra de coletes de protecção balística no valor superior a 17 mil euros. O contrato publicado no portal Base é omisso quanto à finalidade desta compra.
Banco de Portugal gasta 17.448 euros em coletes de protecção balística
Tiago Sousa Dias/Cofina
João D'Espiney 06 de setembro de 2018 às 16:30

O Banco de Portugal decidiu comprar coletes de protecção balística no valor global de 17.448 euros, mais IVA.

O contrato, assinado no dia 25 de Junho com a empresa Lasi – Electrónica, Comércio de Componentes e Sistemas Eléctricos e Electrónicos, foi divulgado no portal Base dos contratos públicos esta terça-feira, 4 de Setembro.

O Negócios tentou saber as razões que levaram o banco central a fazer esta compra, mas até ao momento não tivemos resposta.

No documento publicado no portal não se consegue perceber nem a finalidade desta compra nem a quantidade de coletes que foram adquiridos. Neste último caso, a informação consta num anexo que não foi tornado público.

Uma pesquisa por alguns sites na internet permite concluir que um colete de protecção balística pode custar entre 300 e 400 euros.

Segundo o contrato, a decisão desta compra foi tomada a 18 de Junho pela directora-adjunta do Departamento de Serviços de Apoio e os equipamentos devem ser entregues num prazo de dois meses, a contar da data da assinatura.

O documento revela ainda que "todas as comunicações e notificações" feitas pela empresa no âmbito da execução do contrato "devem ser remetidas para a Unidade de Segurança, Vigilância e Suporte Operacional da Área de Segurança do Departamento de Serviços de Apoio".




pub