Economia Bem-estar dos portugueses em máximos de 14 anos

Bem-estar dos portugueses em máximos de 14 anos

As condições materiais e a qualidade de vida dos portugueses está a melhorar, o que coloca o índice de bem-estar no nível mais elevado desde que há registos (2004).
Bem-estar dos portugueses em máximos de 14 anos
Bruno Simão/Negócios
Sara Antunes 07 de novembro de 2018 às 12:00

O índice de bem-estar dos portugueses atingiu, em 2017, o valor mais elevado desde que há dados (2004), ajudado pelos dois indicadores que o compõem: condições materiais e qualidade de vida, revela esta quarta-feira, 7 de Novembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

A situação económica e pessoal das famílias portuguesas tem vindo a melhorar progressivamente nos últimos anos, com vários indicadores a crescerem. Os dados hoje divulgados revelam que o índice de bem-estar económico está no valor mais elevado desde 2004 e que a vulnerabilidade económica e o trabalho e a remuneração estão a melhorar, com os valores a serem os melhores desde 2006 e 2010, respectivamente.

 

As condições materiais das famílias estão assim em máximos de 12 anos, segundo estes indicadores.

 

Já a qualidade de vida está em máximos de 2004, com todos os indicadores a melhorarem, à excepção do balanço vida-trabalho, que se encontra no valor mais baixo desde que há dados. Este sub-indicador desceu mesmo pelo segundo mês consecutivo. Esta diminuição "resulta da evolução desfavorável do índice de realização de actividades de apoio familiar", explica o INE, que também divulgou uma outra nota onde se conclui que mais de metade dos portugueses dizem não se poderem ausentar do trabalho para cuidar dos filhos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI