Economia Coronavírus: Japão anuncia 2,27 mil milhões para combater surto a meses dos Jogos Olímpicos

Coronavírus: Japão anuncia 2,27 mil milhões para combater surto a meses dos Jogos Olímpicos

O primeiro-ministro japonês anunciou um pacote financeiro de emergência, considerando que o país está num momento decisivo para perceber se é possível manter controlar o surto antes dos Jogos Olímpicos deste verão.
Coronavírus: Japão anuncia 2,27 mil milhões para combater surto a meses dos Jogos Olímpicos
Reuters
Lusa 29 de fevereiro de 2020 às 17:21
O primeiro-ministro japonês anunciou este sábado um pacote financeiro de emergência no valor de 2,27 mil milhões de euros, aproximadamente, para combater o surto do novo coronavírus, a meses dos Jogos Olímpicos, adiantou a AP.

Em conferência de imprensa, o primeiro-ministro Shinzo Abe disse que o país está num momento decisivo para perceber se é possível manter o surto sob controlo no Japão antes dos Jogos Olímpicos, no verão.

Abe foi fortemente criticado na última semana por ter determinado o encerramento de escolas durante mais de um mês, numa altura em que o ano académico no país estava perto de terminar (as aulas começam em abril e terminam em março).

Hoje disse que o pacote de emergência inclui apoio financeiro aos pais e aos seus empregadores, afetados pelo encerramento das escolas.

Nas declarações à imprensa, Abe sublinhou que há muito sobre o novo vírus que ainda é desconhecido e que lutar contra um "inimigo desconhecido não é fácil".

"Falando francamente, esta batalha não pode ser ganha apenas com os esforços do governo. Não o podemos fazer sem a compreensão e cooperação de todos vós, incluindo instituições médicas, famílias empresas e governos locais.

O primeiro-ministro disse compreender que o encerramento de escolas até ao final de março iria prejudicar as celebrações dos alunos finalistas e obrigaria os pais a tirar mais dias de folga, mas disse que esta era uma medida necessária para minimizar o risco de crianças e professores levarem a infeções em massa.

O plano prevê apoios específicos para os pais que tenham que faltar ao trabalho para ficar a tomar conta de crianças pequenas, mas também medidas para ampliar a resposta médica em caso de escalada do surto, assim como verbas para ajudar a desenvolver uma vacina e kits de teste ao vírus mais eficientes.

O Japão tem mais de 900 casos de infeção pelo novo coronavírus confirmados, incluindo 705 pessoas que viajavam no navio de cruzeiro Diamond Princess, atracado e em quarentena em Yokohama.

Dois portugueses tripulantes do navio de cruzeiros encontram-se hospitalizados no Japão com confirmação de infeção.

Também hoje o Equador, na América do Sul, confirmou o primeiro caso "importado" de infeção pelo Covid- 19, tratando-se de uma idosa que viajou de Espanha para o país há cerca de 15 dias, encontrando-se internada numa unidade especial de cuidados intensivos em um dos quinze hospitais destacados para tratar a doença, adiantou a EFE.

A ministra da Saúde do Equador, Catalina Andramuño, depois de confirmar o caso da doente infetada, garantiu que foi ativado o plano nacional para proteger a população do surto da doença, classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como sendo de "risco muito elevado".

A ministra disse que a doente em causa padecia de outras doenças e que não apresentou sintomas até ter sido detetada a infeção pelo novo coronavírus. Clarificou ainda que não existem no país mais casos suspeitos.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou pelo menos 2.916 mortos e infetou mais de 84 mil pessoas, de acordo com dados reportados por 57 países e territórios. Das pessoas infetadas, mais de 36 mil recuperaram.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI