Política Marques Mendes: "Nunca nenhum líder perdeu uma votação num Conselho Nacional"

Marques Mendes: "Nunca nenhum líder perdeu uma votação num Conselho Nacional"

O comentador político considera que "o grande problema de Rui Rio não é Luís Montenegro. São as sondagens", que colocam o PSD com o resultado mais baixo de sempre. Ainda assim, Marques Mendes acredita que Rui Rio sairá vencedor do Conselho Nacional.
Marques Mendes: "Nunca nenhum líder perdeu uma votação num Conselho Nacional"
Pedro Catarino
Negócios 13 de janeiro de 2019 às 21:15

Luís Marques Mendes considera que o "melhor" para o PSD seria a convocação de eleições diretas, uma vez que o líder que fosse eleito sairia fortalecido. Este foi, aliás, o desafio apresentado por Luís Montenegro a Rui Rio. Mas o líder do partido afastou este cenário e decidiu convocar um conselho nacional do PSD.

 

O comentador político acredita que Rui Rio vai vencer este episódio. "Nunca nenhum líder perdeu uma votação num Conselho Nacional", realçou Marques Mendes no comentário semanal na SIC.

 

O responsável diz que "os lugares de deputados a distribuir pesam muito nos votos", afirmando que haverá quem dê apoio a Rui Rio para não perder ou conquistar lugares. "Os que temem perder os lugares que têm na Assembleia da República estão com Montenegro; os que querem ir para o Parlamento Europeu e para a Assembleia da República estão com Rui Rio", adiantou.

 

Marques Mendes diz que  se Rio sair vencedor "ainda vamos ver que ambos saem a ganhar: Rui Rio ganha em definitivo o direito de disputar as eleições com António Costa; Luís Montenegro ganha o estatuto de alternativa a Rui Rio, não corre o risco de medir forças, e, daqui a um ano, se as coisas correrem mal ao PSD, estará na pole position para substituir Rui Rio."


No espaço de comentário político, Marques Mendes analisou ainda as últimas sondagens, que dão apontam para uma descida nas intenções de voto no PSD, colocando o partido com o pior resultado da história. "O grande problema de Rui Rio não é Luís Montenegro. São as sondagens. Se não fossem as más sondagens não havia o desafio de Luís Montenegro", sublinhou.




pub