Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Explosões em Beirute matam mais de 50 pessoas. Feridos ultrapassam os 2.750

Zona portuária de Beirute ficou devastada. Terão explodido toneladas de nitrato de amónio. Explosão sentiu-se a 180 quilómetros, no Chipre.

Sábado 04 de Agosto de 2020 às 20:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

As violentas explosões na zona portuária de Beirute, Líbano, mataram pelo menos 50 pessoas e feriram mais de 2.750. As ondas de choque sentiram-se por toda a cidade, partindo janelas e causando grandes danos estruturais.

Segundo a Reuters, a mais poderosa explosão que atingiu Beirute nos últimos anos fez estremecer o chão e alguns residentes pensaram que era um terramoto. Abaladas e algumas, feridas, as pessoas caminharam pelas ruas para saber se os familiares estavam bem.

A explosão ocorreu na zona portuária da cidade, onde há armazéns com material explosivo. O ministro do Interior do Líbano afirmou que as informações iniciais davam conta de explosivos, confiscados há anos, que tinham provocado a explosão. A cadeia televisiva Mayadeen indica que toneladas de nitrato de amónio explodiram.

Ainda não é claro o que causou a ignição que conduziu à explosão.

Os vídeos da explosão inundaram as redes sociais. Quem filmou a explosão em prédios altos foi atirado ao chão.




Pelo menos dez corpos foram levados para os hospitais, segundo a Reuters. O Crescente Vermelho indicou que centenas de feridos também foram encaminhados para tratamento hospitalar.

Michel Aoun, o presidente libanês, convocou uma reunião de emergência do Conselho Supremo de Defesa do Líbano.

Esta explosão acontece três dias antes de um tribunal apoiado pelas Nações Unidas dar o veredicto aos quatro suspeitos, pertencentes ao Hezbollah, da morte do antigo primeiro-ministro Rafik al-Hariri. Em 2005, um ataque com um carro armadilhado matou al-Hariri e outras 21 pessoas.

Israel já indicou que nada tem que ver com a explosão – afinal, o país já se envolveu em várias guerras com o Líbano. O Hezbollah também negou responsabilidades. A Casa Branca garante que está a acompanhar a situação de perto e França ofereceu ajuda.

Os testemunhos

À Sky News, o diretor do porto de Beirute relatou que uma equipa de bombeiros no local tinha "desaparecido" após a explosão.

"Vi uma bola de fogo e fumo a formar-se por cima de Beirute. As pessoas gritavam e corriam, a sangrar. As varandas foram arrancadas dos prédios. Os vidros em edifícios altos quebraram-se e caíram nas ruas", relatou uma testemunha à Reuters.

Outra pessoa falou do fumo pesado e cinzento junto à zona portuária e na explosão que se seguiu. "Todas as janelas na baixa se partiram e há pessoas feridas a andar por ali. É o caos total."

No Chipre, a 180 quilómetros de Beirute, ouviu-se a explosão. Um habitante de Nicósia, a capital do país, diz que a sua casa abanou.


(Notícia atualizada)

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias