Educação Doze colégios excluídos pelo Governo estão no “top” 100

Doze colégios excluídos pelo Governo estão no “top” 100

Dois dos colégios com contratos de associação no distrito de Coimbra, o mais afectado pelos cortes no financiamento, estão entre os dez melhores de Portugal. A comparação é feita pelo Diário de Notícias.
Doze colégios excluídos pelo Governo estão no “top” 100
Bruno Simão/Negócios
Negócios 02 de junho de 2016 às 12:22

Doze dos 39 colégios com contrato de associação que perdem financiamento para abrir novas turmas estão entre as 100 melhores escolas do país. A informação é avançada esta quinta-feira, 2 de Junho, pelo Diário de Notícias, tendo em conta um "ranking" feito pelo jornal em 2015 com base nas notas dos exames nacionais.

A publicação concretiza que dois colégios privados de Coimbra – o distrito mais afectado pelos cortes no financiamento – estão mesmo no ‘top’ 10: é o caso do Colégio Rainha Santa Isabel em quinto lugar e o Colégio de São Teotónio em décimo.

O Diário de Notícias ouviu Rosário Gama, antiga directora da secundária Infanta D. Maria em Coimbra, presidente da associação de reformados Apre e militante do PS, que desvalorizou as ilações que se podem retirar sobre a qualidade das escolas e colégios a partir dos resultados dos exames nacionais. "O Colégio Rainha Santa é frequentado por alunos da classe média alta e alta da cidade", afirmou, dizendo que é fácil constatar isso vendo "os carros que lá chegam" todos os dias. "Não pagam a frequência mas os pais têm dinheiro para lhes pagar as explicações a várias disciplinas", exemplifica a responsável. 

Ainda segundo o DN, também existem colégios financiados pelo Estado em má posição no ranking. É o caso do Instituto Educativo de Lordemão que surge na cauda da tabela. "Abrange uma zona mais carenciada, com bairros mais periféricos", justifica Rosário Gama, para quem o factor determinante para a posição no ranking é a localização e os respectivos moradores e não a natureza pública ou privada do estabelecimento de ensino. 

Finalmente, o jornal comparou o desempenho dos colégios com as escolas públicas mais próximas. Os privados ficam à frente na maioria das situações (usando o mesmo indicador das notas nos exames nacionais), mas há também muitos casos em que os estabelecimentos públicos levam a melhor. 

(Notícia actualizada com mais informação às 16:10)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI