Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Centeno: execução orçamental "está no bom caminho"

O ministro das Finanças defendeu hoje que a execução orçamental de 2016 está "no bom caminho", havendo uma "redução muito significativa" do défice face ao ano anterior, o que constitui um factor de credibilidade da economia portuguesa.

A carregar o vídeo ...
Lusa 23 de Setembro de 2016 às 12:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • 15
  • ...

Mário Centeno falava aos jornalistas na residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento, após o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter estimado que no primeiro semestre deste ano o défice das administrações públicas foi de 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) - uma diminuição face aos 4,6% registados no período homólogo.

 

"Apesar de o exercício orçamental de 2016 ser de grande exigência, assiste-se a uma redução muito significativa do défice face ao ano anterior. Os mais recentes dados indicam que a implementação do Orçamento do Estado para 2016 está no bom caminho", declarou o titular da pasta das Finanças.

Numa reacção aos mais recentes dados divulgados pelo INE sobre o primeiro semestre deste ano, Mário Centeno indicou que Portugal registou no segundo trimestre de 2016 um défice de 2,5%, sendo que no conjunto dos primeiros seis meses do ano o défice foi de 2,8%.

 

"Este valor representa uma redução de 1,8 pontos percentuais comparado com o valor de 4,6% do primeiro semestre de 2015. Esta redução é superior ao dobro da diminuição prevista em termos de défice para o conjunto do ano em 2016", salientou Mário Centeno.

 

Perante os jornalistas, o ministro das Finanças referiu que o Orçamento do Estado para 2016, "sendo um exercício de grande exigência, está a decorrer com sucesso".

 

"A melhoria do défice em 2016 é de 1542 milhões de euros - mais uma vez uma melhoria superior àquela que está prevista para o conjunto do ano, que era de cerca de 1300 milhões de euros. Estamos portanto perante um factor de confiança na economia portuguesa. A meta orçamental deverá ser atingida sem colocar em causa a coesão social e num contexto de reforço da credibilidade das contas públicas", defendeu ainda Mário Centeno.

 

Na sua declaração inicial, o ministro das Finanças sublinhou igualmente outro factor que considerou relevante em termos de credibilidade externa das finanças públicas nacionais.

 

De acordo com Mário Centeno, o défice deste ano regista melhorias em contabilidade nacional (na óptica de Bruxelas) "bastante superiores" ao défice que é reportado mensalmente em contabilidade pública.

 

"Uma tendência que irá reforçar-se no decorrer do ano. O Governo prevê atingir as suas metas com base nesta execução", acrescentou.

Em comunicado, o Ministério das Finanças "reitera a confiança no processo de consolidação orçamental, reforçada mais uma vez pelos números do Instituto Nacional de Estatística (INE) agora conhecidos".

 

"Reafirma-se assim o caminho de rigor traçado no Orçamento do Estado, que teve continuidade na execução orçamental de Julho e de agosto e que permitirá a saída do Procedimento por Défice Excessivo", acrescenta a nota enviada às reacções pelo gabinete de Centeno.

(notícia actualizada com comunicado do MInistério das Finanças)

Ver comentários
Saber mais Mário Centeno São Bento Instituto Nacional de Estatística INE Produto Interno Bruto défice
Mais lidas
Outras Notícias