Mundo Trump ameaça cortar subsídios à General Motors após encerramento de fábricas nos EUA

Trump ameaça cortar subsídios à General Motors após encerramento de fábricas nos EUA

Descontente com o facto de a General Motors ter encerrado unidades de produção nos Estados Unidos sem fazer o mesmo a fábricas detidas na China e no México, o presidente norte-americano anunciou que todos os subsídios atribuídos à GM, incluindo para veículos eléctricos, serão cortados. As acções da fabricante automóvel perdem quase 2%.
Trump ameaça cortar subsídios à General Motors após encerramento de fábricas nos EUA
Reuters
David Santiago 27 de novembro de 2018 às 19:21

Donald Trump está descontente com a política seguida pela General Motors e, como tal, decidiu anunciar o corte de todos e quaisquer subsídios atribuídos à fabricante de automóveis norte-americana.

Como é seu hábito, o presidente dos Estados Unidos recorreu à rede social Twitter para se mostrar "muito desiludido com a GM e a CEO Mary Barra" por terem decidido encerrar unidades de produção nos estados do Ohio, Michigan e Maryland sem que tenham feito o mesmo com as fábricas "no México e na China". Trump defende terem sido as medidas proteccionistas adoptadas pela sua administração que permitiram "salvar" a empresa para acrescentar, em maiúsculas, ser este o "AGRADECIMENTO" recebido.  

Donald Trump prossegue depois dizendo que a Casa Branca está já a avaliar como cortar todos os subsídios atribuídos à GM, incluindo os destinados à produção de veículos elétricos. Os veículos eléctricos produzidos pela GM beneficiam de créditos fiscais no valor de 7.500 dólares, sendo incerto como é que a administração de Trump poderá cortar esses benefícios fiscais exclusivamente para os automóveis produzidos pela GM.

Já num segundo tweet, Trump lembra que a GM fez uma "forte aposta" na construção de fábricas na China e no México e conclui que essa estratégia não parece estar a resultar. "Estou aqui para proteger os Trabalhadores Americanos", remata.

A General Motors, que é a maior fabricante automóvel norte-americana, anunciou o encerramento de quatro unidades de produção localizadas nos Estados Unidos e consequente despedimento de milhares de trabalhadores. Na sequência dos "tweets" de Donald Trump, as acções da GM que ontem tocaram no valor mais alto desde Julho, passaram a negociar com uma queda de 1,73% para os 37 dólares. 

Desde a eleição como presidente dos EUA, Trump encetou uma espécie de cruzada contra os produtores de automóveis norte-americanos (GM, Ford) que deslocalizaram a respectiva produção para países terceiros, designadamente para o México. 

 (Notícia actualizada às 19:31)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI