Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fed teme que inflação se "enraíze" na economia dos EUA

Alguns membros da Fed "consideraram que a inflação elevada pode enraizar-se na economia", numa altura em que o banco central já fala em desacelerar o ritmo de subidas dos juros de referência.

A Reserva Federal dos EUA subiu os juros em 75 pontos-base no último encontro, tendo o próximo marcado para 20 e 21 de setembro já com novos dados da inflação para avaliar.
Jim Lo Scalzo/Reuters
Fábio Carvalho da Silva fabiosilva@negocios.pt 17 de Agosto de 2022 às 20:00
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...
A Reserva Federal norte-americana (Fed) teme que a elevada inflação se enraíze na economia norte-americana se o mercado começar a incorporar um ritmo mais lento de subidas nos juros diretores dos EUA, revelam as atas da última reunião do Comité de Política Monetária (FOMC), realizada em julho.

"Participantes [no encontro] consideraram que há um risco significativo para o comité de que a elevada inflação se possa enraizar se o público começar a questionar que o comité vai ajustar suficientemente o posicionamento político", indicam as atas.

Estes membros alertam que se "este risco se materializar será mais difícil" alcançar a meta de reduzir a inflação para 2%, tendo ainda o potencial de aumentar "substancialmente os custos económicos" associados a este processo.

Por outro lado, devido ao desfasamento entre as alterações à política monetária e os seus efeitos na economia, a Fed vê o risco de que "o comité possa apertar o posicionamento das políticas mais do que necessário para restaurar a estabilidade dos preços".

Nesse sentido, a Reserva federal deverá decidir o ritmo das subidas das taxas diretoras sempre tomando por base os dados económicos mais recentes, argumentaram vários dos participantes.

No final do encontro, que decorreu nos dias 26 e 27 de julho, o banco central dos EUA sinalizou um possível abrandamento do ritmo da subida nas taxas de juro, caso a inflação o permitisse. Em julho, o índice de preços no consumidor caiu para 8,5% (de 9,1% em junho), alimentando esta expectativa.

Após o aumento da taxa dos fundos federais em 75 pontos base anunciada em julho, esta subiu para um intervalo entre 2,25% e 2,5%. O aumento da taxa de referência foi apoiado por unanimidade entre os 12 membros do FOMC, acrescentam as atas.
Ver comentários
Saber mais FOMC Comité Federal do Mercado Aberto Fed economia negócios e finanças minérios e metais FOMC Fed Reserva Federal Comité de Política Monetária Comité Federal do Mercado Aberto economia negócios e finanças economia negócios e finanças finanças (geral) economia (geral) minérios e metais serviços financeiros macroeconomia mercado monetário
Outras Notícias