Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Alberto João Jardim não avança para Presidente da República (cor.)

O antigo presidente da Região Autónoma da Madeira não vai avançar com uma candidatura presidencial. Jardim não quer "protagonizar quixotismos nas eleições presidenciais" e afirma confiar em Marcelo Rebelo de Sousa para ocupar o cargo.

Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago dsantiago@negocios.pt 15 de Outubro de 2015 às 15:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • 14
  • ...
Alberto João Jardim não vai candidatar-se a Presidente da República nas eleições do próximo ano. Depois de Rui Rio ter hoje anunciado a sua não candidatura a Belém, esta quinta-feira, 15 de Outubro, também Jardim revelou que não se candidata à presidência da República depois de ter decidido "não protagonizar quixotismos nas eleições presidenciais".

O ex-presidente da região autónoma madeirense, que afiança "só na Madeira ter reunido o volume necessário de apoios para apresentar a candidatura", garante ter decidido "não me prestar a novas represálias institucionais a que venho sendo sujeito por causa das minhas opções livres e legítimas na vida pública". Ainda assim, o militante social-democrata proclama que continuará "a lutar por aquilo que acho ser o melhor para o nosso País".

E já depois de salvaguardar que "não estou alinhado com a política austeritária da direcção nacional do partido a que pertenço, e cujo nascimento e consolidação ajudei", aproveitou a ocasião para reiterar um conjunto de propostas que devem assentar na medida essencial que "consiste numa alteração substancial da Constituição da República". Entre essas propostas apresentadas destaca-se a proposição de um "sistema presidencialista (...) apenas por um único mandato" e ainda a retirada, aos partidos, do "monopólio de apresentar candidaturas a deputados".

E afirmando-se um 
"adversário declarado do controlo do país pela plutocracia financeira e pelos grandes interesses internos e externos a Portugal", Alberto João lamentou que "as pessoas não se [tenham envolvido] a organizar nos locais a minha estratégia para tornear os poderes que controlam a 'informação', a propaganda, as rotinas eleitorais e os protagonistas do costume". Jardim não escondeu a desilusão de não poder prosseguir o "único caminho possível" para fazer aquilo que considera premente e que passa pela reforma do Estado.

Embora de forma não oficial, Alberto João Jardim pareceu declarar o seu apoio a Marcelo Rebelo de Sousa para a corrida presidencial. A "amizade e atenções" que deve a Marcelo Rebelo de Sousa, fazem com que Alberto João confie na "coerência e valores" do professor. O antigo presidente da Região Autónoma da Madeira sublinha ainda o "distanciamento" de Marcelo relativamente "
à políticaausteritária da direcção do Partido a que pertencemos e na sua vontade de mudança", no que dificilmente deixa de ser um dos primeiros apoios declarados entre a família social-democrata à candidatura presidencial de Marcelo Rebelo de Sousa..

 

(Notícia actualizada às 15h39o; corrigida a primeira versão para dar conta da não candidatura.)
Ver comentários
Saber mais Presidenciais 2016 Alberto João Jardim Presidente da República Belém Madeira Marcelo Rebelo de Sousa
Mais lidas
Outras Notícias