Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Afinal, Ministério não cortou relações com Ordem dos Enfermeiros. Foi só o secretário de Estado

A decisão de suspender temporariamente as relações institucionais com a Ordem vincula só o secretário de Estado, Francisco Ramos, segundo o gabinete da própria ministra da Saúde.

Inês Gomes Lourenço
João D'Espiney joaodespiney@negocios.pt 05 de Fevereiro de 2019 às 17:27
  • Assine já 1€/1 mês
  • 9
  • ...
Afinal, o Ministério da Saúde não cortou relações com a Ordem dos Enfermeiros (OE). A decisão de suspender temporariamente as relações institucionais vincula só o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos.

Na sequência do comunicado divulgado ao final desta manhã pelo gabinete da ministra a anunciar o corte de relações - na sequência das posições assumidas pela bastonária da OE, Ana Rita Cavaco "em sucessivas ocasiões e, em particular, no que diz respeito à greve 'cirúrgica' - a Lusa contactou o gabinete de Marta Temido que esclareceu que a decisão vincula apenas o secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

O Negócios voltou a contactar o gabinete da ministra para tentar esclarecer esta situação e a resposta não deixou margem para dúvidas: "a decisão e comunicado são do gabinete do secretário de Estado. A decisão foi comunicada e partilhada pelo secretário de Estado com a bastonária OE na reunião desta manhã. Nada mais a acrescentar sobre o assunto".

Confirma-se assim que este corte inédito de relações não irá abranger o Ministério mas só um dos seus principais responsáveis.

No comunicado divulgado ao final da manhã, o gabinete de Marta Temido escreve que "o secretário de Estado considera não existirem condições para dar continuidade às reuniões regulares com a Ordem dos Enfermeiros, dado que a sua bastonária tem extravasado as atribuições da associação profissional que representa". O mesmo comunicado referia ainda que "esta suspensão temporária não colocará em causa as relações entre o Ministério da Saúde e os profissionais de enfermagem".

Em declarações à agência Lusa, a bastonária dos Enfermeiros disse que a decisão lhe foi comunicada durante uma reunião de trabalho que estava marcada, tendo outros assuntos em agenda, como a substituição de enfermeiros nos serviços.

 

Ana Rita Cavaco salientou que o secretário de Estado lhe disse que se tratava de uma posição pessoal, mas que na segunda-feira também o gabinete da ministra da Saúde cancelou uma reunião marcada com a Ordem para dia 12 deste mês.
 

"Insisti várias vezes para rever a posição, porque nestas posições não há lugares a estados de alma nem a questões pessoais. Estamos todos a cumprir uma missão e o que está em causa é o país", afirmou a bastonária.

Coincidência ou não, esta foi precisamente a expressão utilizada pelo ex-ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, num comentário enigmático na sua página do Facebook: "O Estado e o interesse público são sempre melhor servidos quando se evitam os 'estados de alma'...".

Ver comentários
Saber mais Saúde Ministério Francisco Ramos Enfermeiros Ordem Ana Rita Cavaco Marta Temido Greve
Mais lidas
Outras Notícias