Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CIP e IEFP lançam programa de formação digital para 23.500 trabalhadores

O programa “emprego + digital”, que será operacionalizado através dos centros protocolares das associações empresariais, será apresentado esta sexta-feira pela CIP e pelo IEFP, no Ministério do Trabalho

Pedro Catarino

A Confederação Empresarial (CIP) e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) apresentam esta sexta-feira o programa de formação em competências digitais que, de acordo com o plano traçado neste momento, deverá chegar, no próximo ano, a 23.500 formandos.

"O objetivo é darmos maiores competências para promover a manutenção do emprego e idealmente criar mais emprego", diz ao Negócios António Saraiva.

"Qualquer empresa se pode inscrever, associada ou não das associações da CIP, e os módulos são dados na associações, no centro de formação protocolada ou na própria empresa", esclarece o presidente da Confederação que se associou ao IEFP e ao Portugal Digital, o programa do Ministério da Economia e da Transição Digital para esta área.

Em causa estão formações na área de e-business, websites, design digital, cibersegurança, programas de gestão ou ferramentas de teletrabalho. As formações em tecnologias da informação e comunicação incluem a operação digital e manutenção de equipamentos.

A formação será lecionada através dos centros de formação protocolados que as associações têm como o Instituto de Emprego. Entre as 22 associações representadas pela CIP que já aderiram estão a Associação Têxtil de Portugal (ATP), a Associação dos Industriais Metalúrgicos (AIMMAP) a Associação Industrial de Aveiro (AIDA), a Associação Portuguesa de Industriais de Calçado (APICAPS) ou a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), estando previstas 1.500 ações de formação.

Embora não tenha custos para as empresas que queiram aderir, a formação é dada em horário laboral, o que implica que as empresas prescindam dessas horas de trabalho.

O programa é financiado por fundos comunitários através do IEFP, num montante que a CIP não precisou.

A formação profissional é uma das fontes de financiamento das associações representadas pelos parceiros sociais com assento em concertação social.

Ver comentários
Saber mais Formação competências digitais CIP centros de formação protocolados fundos comunitários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio