Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vitacress escolhe novo diretor com carreira na Unilever e Logopaste

Carlos Vicente, que fundou os supermercados Brio e estava agora numa consultora alemã, substitui Luís Mesquita Dias na agroindústria do grupo RAR, que produz folhas para saladas e ervas aromáticas no Alentejo e no Algarve.

Luís Guerreiro/Correio da Manhã
António Larguesa alarguesa@negocios.pt 15 de Setembro de 2020 às 12:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Ao fim de 11 anos no cargo, Luís Mesquita Dias vai abandonar a direção-geral da Vitacress Portugal – passa a administrador não executivo – e entrega a liderança da operação nacional a Carlos Vicente, que nos últimos quase dois anos foi consultor da Etronixx na Alemanha.

 

O novo diretor-geral desta agroindústria, fundada em 1980 por um investidor inglês e controlada desde 2008 pelo grupo RAR, iniciou a carreira na Procter & Gamble, passou por vários cargos internacionais na Bestfoods, esteve oito anos na Unilever (Brasil, Holanda e Portugal), fundou os supermercados biológicos Brio e ocupou vários cargos de gestão de topo na Logopaste entre 2011 e 2019.

 

Com explorações em Odemira, Odeceixe e Almancil e cerca de 400 trabalhadores permanentes – o grupo, presente também no Reino Unido, Espanha e Benelux, emprega mais de 1.500 pessoas –, a Vitacress Portugal faturou 35 milhões de euros em 2019, dos quais 30% no estrangeiro. Os principais mercados externos são o britânico, o espanhol e o alemão, vendendo para marcas como El Corte Inglés, Sainsbury’s, Marks & Spencer, Makro, Carrefour ou Kero.

 

Durante o estado de emergência no país, a pandemia de covid-19 provocou uma quebra entre 20% a 30% nas vendas de ervas aromáticas e folhas baby, como espinafre, agrião e rúcula selvagem, assim como nos produtos que embala de terceiros, como cenouras baby, tomate cherry e batatas jovens.

 

Em entrevista ao Negócios, publicada a 15 de maio, Luís Mesquita Dias referiu que a empresa nunca parou de produzir durante aquelas semanas de confinamento, mas aproveitou o período de exigência menor de produto para "fazer uma rotação mais adequada" nos campos, dando "descanso adicional a algumas parcelas das quintas".

Ver comentários
Saber mais agricultura indústria vitacress gestão carlos vicente luís mesquita dias alentejo algarve pandema covid-19
Mais lidas
Outras Notícias