Vinho Os Bordeaux 2018 são incríveis e podem ser bons investimentos

Os Bordeaux 2018 são incríveis e podem ser bons investimentos

Nas degustações anuais de novos produtos da região, na semana passada, experimentei cerca de 500 amostras de barris dos extraordinários vinhos tintos de Bordeaux de 2018.
Os Bordeaux 2018 são incríveis e podem ser bons investimentos
Reuters
Bloomberg 19 de abril de 2019 às 13:00

Os melhores vinhos são excecionais: concentrados, com camadas de aroma, aveludados e delicados, puros e suculentos. Degustar vinhos de uma amostra a outra é geralmente difícil porque cansa o paladar, mas não este ano. Os vinhos combinam a vitalidade da colheita de 2009 com a estrutura madura das colheitas de 2015 e 2016, além de uma nova energia que me fez desejar outra taça.

Alguns produtores, como Lafite Rothschild e Vieux Chateau Certan, fizeram vinhos fantásticos que certamente durarão por décadas, e encontrei muitos vinhos que serão verdadeiras pechinchas, especialmente quando comparados aos cabernet de Napa Valley.

A desvantagem de 2018 é que a excelente qualidade não é para todos os vinhos. Num ano de grandes vinhos ousados, alguns têm taninos amargos, alto teor alcoólico ou são muito pesados. Os tintos são claramente as estrelas, enquanto apenas alguns brancos me impressionaram.

"Este é o ano da frescura e da suculência, juntamente com a densidade", disse Nicolas Audebert, produtor do Chateau Rauzan-Segla. "Conseguimos obter essa combinação rara por causa da longa estação de crescimento".

O clima molda sempre o caráter dos vinhos, e 2018 foi uma montanha-russa stressante, indo de um extremo ao outro. A primeira metade do ano parecia um desastre, com chuvas persistentes, tempestades de granizo violentas e surtos de míldio que reduziram a colheita, mas felizmente não afetaram a qualidade das uvas que restaram. A segunda metade do ano foi quente e excecionalmente seca, seguida de uma colheita muito longa. As uvas maduras eram minúsculas, com muito tanino na casca e para manter a frescura, a delicadeza e o equilíbrio, foi preciso uma produção de vinho muito lenta. "2018 é uma colheita particularmente de estilo americano", disse Jeffrey Davies, um comerciante de vinhos americano que trabalha em Bordeaux. "Tem abundância e acessibilidade".

Os produtores vão comunicar os seus preços nos próximos dois meses e a grande questão será em qual investir. O jogo em Bordeaux funciona assim: os produtores estabelecem o preço dos seus vinhos e vendem-nos aos cerca de 400 negociantes da região (ou corretores), que adicionam uma margem de lucro e depois vendem o produto aos retalhistas, que ainda acrescentam as suas próprias margens. Para participar, investe-se uma quantia com um retalhista respeitável para o vinho que ainda envelhece em barris e recebe-se a versão engarrafada dois anos depois.

Para ganhar nesse jogo, deve-se escolher os vinhos certos, ou seja, aqueles cujos preços são baixos o suficiente, que são feitos em pequenas quantidades ou para os quais há grande procura. Na última colheita muito boa em 2016, os vinhos que proporcionaram os melhores retornos foram Les Carmes Haut Brion, Lafleur e Petrus, de acordo com o estudo do Bordeaux 2018 feito pelo Wine Lister.

"Se o preço for justo", diz Chris Deas, especialista em Bordeaux na Zachys Fine Wine em Scarsdale, Nova Iorque, "acreditamos que haverá uma forte resposta dos nossos clientes".

Colunista: Elin McCoy

(Texto original: The 2018 Bordeaux Are Exceptional. Here’s What to Invest in Now)




Marketing Automation certified by E-GOI