Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCE estuda limitar dividendos a 20% dos lucros quando levantar a suspensão

O regulador europeu está a estudar abrir mão da suspensão do pagamento de dividendos, à imagem do Banco de Inglaterra, mas com restrições, segundo avança a Bloomberg.

Pedro Elias
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 11 de Dezembro de 2020 às 17:51
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...
Os reguladores europeus estão a equacionar apertar as regras para a atribuição de dividendos aos investidores no setor da banca, quando levantarem a suspensão de pagamentos em vigor desde março. Mas o regresso será regrado. De acordo com a Bloomberg, o Banco Central Europeu (BCE) está a equacionar um limite de 20% sobre os lucros nos primeiros nove meses do ano.

Esta barreira, a concretizar-se, é ainda mais apertada do que os 25% definidos pelo Banco de Inglaterra, que anunciou esta semana que iria parar com a suspensão a partir do próximo ano.

Contudo, os termos ainda não foram acordados e ainda podem mudar quando o conselho de supervisão do Banco Central Europeu decidir se e como suspender a proibição, numa reunião que vai acontecer na próxima semana, adianta a agência.

Segundo a Bloomberg, os reguladores estavam a considerar um acordo em que apenas os bancos mais capitalizados da região possam retomar os pagamentos.

No final de novembro, Yves Mersch, vice-presidente do conselho de supervisão do BCE, citado pelo Financial Times, tinha referido que os bancos da Zona Euro vão poder voltar a pagar dividendos a partir do próximo ano, isto se convencerem os supervisores de que os seus balanços estão suficiente fortes para responderem ao choque económico provocado pela crise pandémica. 

Mersch disse recear que os bancos usem parte do alívio regulatório nos requisitos de capital para pagar aos acionistas, mas afirmou ser difícil manter esta suspensão do pagamento de dividendos além do final deste ano. 
Ver comentários
Saber mais BCE Bloomberg Banco Central Europeu Yves Mersch economia negócios e finanças macroeconomia banco central serviços financeiros mercado e câmbios bolsa BCE
Outras Notícias