Construção Teixeira Duarte com lucros de 7 milhões até Setembro

Teixeira Duarte com lucros de 7 milhões até Setembro

Os resultados foram influenciados por diferenças de câmbio desfavoráveis, mas também pelo impacto positivo, de 32,4 milhões de euros, da posição monetária líquida decorrente da aplicação da norma contabilística IAS 29 às empresas de Angola e da Venezuela.
Teixeira Duarte com lucros de 7 milhões até Setembro
Maria João Babo 30 de novembro de 2018 às 17:38

A Teixeira Duarte registou até Setembro um resultado líquido positivo de cerca de 7,1 milhões de euros, o que compara com as perdas de 11 milhões registadas no mesmo período de 2017, anunciou o grupo em comunicado à CMVM.

A Teixeira Duarte explica que para além do impacto normal do desenvolvimento da actividade do grupo, os resultados foram influenciados por diferenças de câmbio desfavoráveis, mas também pelo impacto positivo, de 32,4 milhões de euros, da posição monetária líquida decorrente da aplicação da norma contabilística IAS 29 às empresas de Angola e da Venezuela.

O volume de negócios da empresa atingiu 635,5 milhões de euros, reflectindo uma diminuição 14% face a Setembro de 2017, equivalente a uma quebra de 103,7 milhões de euros.

De acordo com o relatório intercalar do terceiro trimestre, em Portugal registou-se um aumento de 25,3 milhões de euros, realçando o grupo que este desempenho acontece apesar da alienação da Recolte SA e Recolte Porto, que há um ano tinham contribuído com cerca de seis milhões para o volume de negócios.

Pelo contrário, os outros mercados desceram globalmente 21,4%, "em parte resultante da menor relevância em euros da actividade em alguns mercados externos, em especial em Angola", explica a Teixeira Duarte.

Desta forma, os mercados externos, que representaram 81,6% deste indicador em Junho do ano passado, passaram a representar 74,6% do total do volume de negócios do grupo.


O EBITDA registou uma diminuição de 10,4% face a Setembro de 2017, fixando-se em 110,1 milhões de euros.


O grupo explica que nos primeiros nove meses deste ano a evolução do EBITDA foi influenciada por aspectos como a alienação da Lagoas Park, com ganhos de cerca de 25 milhões de euros, diferenças de câmbio operacionais, que em 2018 tiveram um impacto positivo no montante de 14,7 milhões de euros, e custos operacionais não recorrentes de 15 milhões, nomeadamente decorrentes de imparidades de activos a receber.


O endividamento líquido registou uma diminuição de 11,8% em relação ao final do ano passado, tendo-se fixado, a 30 de Setembro, em 753 milhões de euros.

A carteira de encomendas da Teixeira Duarte para o sector da construção totalizava, no final dos primeiros nove meses do ano, 1.906 milhões de euros.


(notícia actualizada às 17:45 com mais informação)




Marketing Automation certified by E-GOI