Empresas Há interessados na Brisa que querem a totalidade do capital

Há interessados na Brisa que querem a totalidade do capital

A Arcus tomou a iniciativa, avaliando o interesse potencial na participação que detém na Brisa. E os interessados apareceram. De acordo com a Reuters são, pelo menos, quatro. E há interessados na totalidade do capital da concessionária de auto-estradas.
Há interessados na Brisa que querem a totalidade do capital
Bruno Simão
Negócios 18 de julho de 2019 às 19:31

A Arcus Infrastructure Partners, que detém cerca de 20% do capital da Brisa, admitiu vender parte ou a totalidade da sua posição no capital da concessionária de auto-estradas, de acordo com a informação então veiculada pela Bloomberg.

 

Há pelo menos três fundos de insfraestruturas e uma concessionária espanhola interessados em fazer uma proposta para ficarem com uma parcela do capital da Brisa, revela a Reuters esta quinta-feira, 18 de julho, citando três pessoas próximas do assunto.

 

A agência adianta que a operação poderá avaliar a Brisa entre 4 e 5 mil milhões de euros, incluindo dívida, segundo as mesmas fontes.

 

Entre os interessados estão os franceses da Ardian, os australianos da Macquarie e os americanos IFM, todos fundos focados em infraestruturas.

 

Mas os interesses não são todos iguais. A Reuters revela que entre os interessados está a GlobalVia, uma concessionária espanhola, que só avançará com uma proposta se puder comprar a totalidade do capital da Brisa.

 

Contudo, será preciso convencer os outros acionistas: o Grupo José de Mello, liderado por Vasco Mello. E, segundo a Reuters, este cenário não está afastado.

 

"Se a Arcus prosseguir com a venda, então o Grupo José de Mello vai precisar de avaliar um processo conjunto", afirmou, à Reuters, fonte próxima do processo.

 

A Brisa é detida em 33% pelo Grupo José de Mello, 20,7% pela Arcus, e o restante está nas mãos da Tagus Holding, uma parceria entre as duas empresas, com a família Mello a deter uma participação 55% enquanto a Arcus é dona de 45%.

 

A Reuters adianta que a Arcus contratou o Morgan Stanley e o BCP para vender a sua posição.

 

A Brisa e as suas filiais operam 1.628 quilómetros de estradas em Portugal, incluindo uma rede de 17 autoestradas.

 

Recorde-se que a Arcus entrou na Brisa em 2011. Foi este fundo e o grupo José de Mello que lançaram a OPA sobre a Brisa a 29 de março de 2012, operação que retirou a empresa de bolsa no ano seguinte.

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI